Testemunhos

Testemunhos missionário

MISSÕES – Pregando nas ruas

Pregando sobre latão de lixo na cidade de Cochabamba

Pregando sobre latão de lixo na cidade de Cochabamba

Acredito que você, assim como eu, está bem familiarizado com as pregações nas igrejas e os pregadores nos púlpitos das igrejas. Mas a pregação nas ruas, assim como seus pregadores, em nada assemelham-se com os tradicionais púlpitos congregacionais que conhecemos. Desde quando chegamos em Bolívia temos trabalhado nas ruas e com os obreiros que realizam atividades evangelísticas nas ruas de Bolívia e de forma interdenominacional. Antes trabalhei em feiras e mercados, pregando nas praças, mas nesses últimos anos temos trabalhado de forma mais intensa nas ruas e com os evangelistas que quase todos os dias estão pregando a Palavra de Deus ruas.

Eu tenho aprendido e continuo aprendendo, pois na rua o nosso púlpito, ou melhor, o local de pregação, tudo é bem diferente. Pregando a Palavra de Deus nas ruas você não tem um público que tem tempo para você, mas estão te escutando. Mas vale frases curtas, objetivas e simplificadas que os sermões bem elaborados. Em geral você não prega apenas meia hora ou quarenta minutos como em uma igreja, mas um pregador de rua muitas vezes chega a pregar de duas a três horas de forma contínua. Quanto a este tema cada evangelista tem sua forma própria de levar a Palavra ao povo.  Uns colocam músicas, outros não. Alguns além de pregar também colocam a Bíblia em áudio. Eu pelo menos nunca trabalhei assim. O certo é que a Palavra chegue ao povo. Neste ponto todos estão em comum acordo.

O povo não se importa com sua roupa, seu sapato, se você está com um elegante traje social, ou a cor da sua gravata. Seu timbre de voz ou sua retórica não são importante para o povo, pois o foco maior está no que você diz. Nas ruas ninguém pede sua credencial, pergunta se você é diácono, presbítero, pastor ou bispo. Eles nem mesmo sabem o que é tudo isso. Nem vão te perguntar que igreja você é membro, pois o povo só faz diferenciação de católicos e protestantes; aliás, só quem me pergunta por igreja são os crentes ou os desviados. Em síntese, amado irmão, a pregação de rua é bem diferente do que encontramos nas igrejas.

Há muitos que gostam de aplausos e reconhecimento. Com certeza esses não acham nenhum sentido realizar o trabalho entre o povo, nas feiras e mercados. Lá no meio do povão, como falamos,  não há aplausos e nem aquele brado de glória impulsionado pela intensidade da voz do pregador (não criticando). Agora, encontramos algo muito interessante e eu gosto muito disso: O pecador, tocado pela Palavra, muitas vezes apenas se aproxima com um olhar de quem foi impactado com a mensagem. Isso é muito genuíno, muito natural. Muitos aproximam-se com um olhar de agonia, outras vezes de espanto promovido pelo operar do Espírito através da exposição da Palavra. Outros estão profundamente tocado pelo Espírito e por tamanha alegria nos traz qualquer coisa: Comida, suco, água, refrigerantes e até roupas já recebemos durante o evangelismo. E, amados, eu falo aqui de pessoas não convertidas. E com certeza muitos tem xingam, mandam calar a boca e muitas vezes se aproximam afrontando.

Irmão Nigel Mercado pregando nas ruas de Bolívia

Irmão Nigel Mercado pregando nas ruas de Bolívia

A exposição da Palavra de Deus gera fé. A Palavra de Deus diz: “De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir a palavra de Deus” (Romanos 10:17). Enquanto pregamos em muitas ocasiões o Espírito de Deus nos tem levado a anunciar a cura divina. Temos visto o operar de Deus de forma surpreendente ao chegar em um povoado pregando a Palavra, assim como o mesmo Deus operou por mãos de Felipe em Samaria. A Palavra diz: “E, descendo Filipe à cidade de Samaria lhes pregava a Cristo. E as multidões unanimemente prestavam atenção ao que Filipe dizia, porque ouviam e viam os sinais que ele fazia; Pois que os espíritos imundos saíam de muitos que os tinham, clamando em alta voz; e muitos paralíticos e coxos eram curados. E havia grande alegria naquela cidade” (Atos 8:5-8). Nosso Deus é o mesmo Deus de Felipe. Em muitas ocasiões não conseguíamos continuar a pregação, pois juntava tanta gente ao nosso redor para orarmos por elas; e nós oramos, repreendemos as enfermidades e o SENHOR tem curado. Muitos posteriormente nos envia uma mensagem no celular ou nos liga para dizer que foram curados. Louvamos a Deus por tudo isso. E em certa ocasião, na praça Arenales de Santa Cruz de la Sierra, pregávamos com um grupo de missionários de várias igrejas  e se aproximou um jovem. Ele pediu oração pelo pai que estava saindo do hospital com câncer em estado terminal. Nós nos juntamos e oramos por ele. Alguns dias depois o mesmo jovem nos ligou dizendo que fizeram vários outros exames e os médicos não encontraram mais o câncer. Glória a Deus!! Mas, isso acontece sempre, pastor? Você me perguntar. Querido irmão, é claro que não.  Nem muito menos nós saímos às ruas como curandeiros ambulantes. Saímos às ruas para pregar o Evangelho e Deus é quem faz como e quando ELE quer.

E falando sobre este assunto, lembro de um pastor que insistiu que deveríamos ter como resultado cura divina e salvação de almas. Eu não discuti com ele, mas sinceramente orei ao SENHOR sobre o assunto. Dias depois fui despertado ao amanhecer com uma forte voz dentro do meu quarto a qual repetiu três vezes, dizendo: “O MAIOR RESULTADO QUE VOCÊ PODE TER É O EVANGELHO NO CORAÇÃO DO PECADOR“. Glória a Deus! Eu pulei da cama escutando a Voz e olhava para minha esposa para ver se ele também acordaria, pois era muito forte e três vezes repetiu a mesma frase. Deus tem sua resposta. O meu trabalho é pregar o Evangelho e o trabalho do Espírito de Deus é convencer o pecador.

Irmão Nigel Mercado pregando nas ruas de La Paz, Bolívia

Irmão Nigel Mercado pregando nas ruas de La Paz, Bolívia

O irmão Nigel Mercado, um jovem de 24 anos (aprox), estava pregando a Palavra de Deus na região central de Cochabamba. As ruas apertadas e muita gente transitando; ele buscou um local mais alto para pregar. Bem à frente havia um latão de lixo e Nigel usou como púlpito para anunciar Cristo ao povo. O nosso amado irmão evangelista começou a dizer que Jesus é o salvador e se alguém crer em Cristo Jesus poderia ser curado ali mesmo pelo poder do Espírito de Deus. Alguns policiais vieram e ordenaram Nigel a sair do local, mas na mesma hora um homem veio gritando dizendo que Jesus Cristo havia curado, pois havia anos que não podia mover o braço e nem mesmo levantar e agora movia normalmente. O homem gritava e louvava ao SENHOR Jesus diante de todos.

Amados, testemunhos assim estamos constantemente ouvindo por parte desses guerreiros de Cristo quando vêm a nossa Base de Apoio buscar material. Como eu já disse, são pregadores do evangelho que não estão buscando oferta, aplausos ou fama. Nas ruas você pode receber um copo de suco como expressão de gratidão, assim como uma chuva de verduras podres. Na região do Abasto, em Santa Cruz de la Sierra, eu pregava com meu megafone e não observei que chovia verduras podres sobre mim. Minha sorte é que não acertaram nenhuma e só fui observar quando outro evangelista que estava comigo me disse: “Pastor Peniel, hoje o povo te recebeu com flores!” E quando olhei ao meu redor havia tomate podre, batata, cebola…. dava até para fazer uma boa sopa.

Irmã Gladys em um povoado de Cochabamba, Bolívia

Irmã Gladys em um povoado de Cochabamba, Bolívia

Na cidade de Cochabamba uma jovem pregava nas ruas a Palavra de Deus. Irmã Gladys ( 23 anos), como é o seu nome, enquanto pregava a Palavra de Deus na região central de Cochabamba sentiu alguém abrindo sua mochila. Um rapaz acostumado a roubar tentava tirar seus pertences. Irmã Gladys repreendeu em Nome do SENHOR e continuou a pregar a Palavra de Deus. O jovem foi impactado. Começou a chorar sem parar. Depois o mesmo jovem que antes tentava roubar trouxe um suco para a jovem pregadora da Palavra de Deus. Outros jovens, possíveis ladrões, também juntaram-se para escutar a Palavra de Deus e todos estavam profundamente movidos pelo poder do Espírito de Deus. Era o Espírito de Deus quebrantando corações endurecidos pelo pecado. Homens entregados ao roubo, às drogas, a prostituição agora choram quebrantados ouvindo a mensagem do evangelho que sai da boca de uma jovem disposta ir  às ruas sob o mover do Espírito de Deus à pregar a Palavra de salvação. Até hoje nosso projeto, faz o apoio com materiais impresso ao trabalho que a irmã Gladys realiza nas ruas. Sempre que os materiais são solicitados nós colocamos a disposição dessa jovem guerreira. Você acha que Gladys tem como alvo pregar em grandes templos? Ou que se preocupa com sua roupa, seu sapato para a próxima conferencia ou reunião

Irmã Gladys em nossa Base de Apoio recebendo materiais para o evangelismo

Irmã Gladys em nossa Base de Apoio recebendo materiais para o evangelismo

de mulheres? Quando tenho oportunidade de falar pessoalmente com nossa irmã Gladys eu pergunto: “Irmã, onde a irmã estará trabalhando neste mês?” A irmã Gladys sempre me responde:” Pastor, quero ir para onde o Espírito de Deus me levar”. Uau!!!

Infelizmente é feito certo show com pessoas possuídas por demônios. Realizar esses shows nas ruas com certeza será algo complicado. Você não tem um público de maioria consciente da situação. Mas com certeza é quase que inevitável ter situações assim nas ruas. Em uma determinada praça da região central de Santa Cruz de la Sierra começamos a pregar e fazer a distribuição da Palavra de Deus escrita. Eu observei que alguns jovens faziam a distribuição de folhetos com temas anti-cristãos. Os folhetos supostamente davam prova da falta de veracidade da Palavra de Deus, que havia muitos erros e etc. Bem, nós não nos importamos e continuamos a pregar. Um dos jovens fica possesso e vem gritando em nossa direção. Eu pensei que ele queria atacar o irmão que estava no megafone; e na realidade acredito que essa era a intensão. Mas ao aproximar gritando o jovem desviou e saiu gritando e desapareceu no meio do povo. Por duas situações endemoninhados vieram ao meu encontro com facões e facas. O homem que veio com um facão me ameaçou e movimentava o facão dizendo que arrancaria minha cabeça. No final ele baixou o facão e foi embora. O outro veio com a faca e quando chegou menos de dois metros o SENHOR nos deu tamanha autoridade para repreender. Eu ordenei em Nome de Jesus que me desse a faca e ele me entregou. Eu e o irmão Joel Apodaca repreendemos o demônio daquele homem e o SENHOR o libertou. ( CLIQUE AQUI para ler o testemunho completo)

Com certeza não tem nada de show nessas situações. Não há plateia te olhando, nada disso. Nesses momentos só está você e Deus para te ajudar. E para terminar conto o que aconteceu com o missionário Gabriel Janeir quando pregava com o jovem Bruno Miranda na cidade de Pedro Juan Caballero, fronteira entre Brasil e Paraguai. Gabriel pregava com o megafone e o jovem Bruno fazia a distribuição da Palavra de Deus escrita. De repente um homem aproxima-se com um pau. O missionário Gabriel continua pregando e quando o homem chega bem perto Gabriel se vira e repreende os demônios que estavam naquele homem. O possesso dá um pulo para trás e cai no chão contorcendo-se. Aquele homem dias atrás gritava para o missionário Gabriel não pregar mais e o ameaçou. E com certeza ao ver o missionário pregando novamente os demônios o impulsionou a agredir o missionário.

Pregadores de rua de Bolívia

Pregadores de rua de Bolívia

Bem, essas são algumas experiências que nós temos passado nas ruas, assim como de companheiros que conhecemos de muito perto. Poderia continuar contando muitos outros testemunhos e creio que em uma outra oportunidade poderei fazer. Mas, quero expressar o mais importante: As vidas estão tendo acesso a Palavra de Deus. A realidade de Bolívia é diferente do nosso Brasil, pois no Brasil há muitas igrejas em cada bairro. Aqui na Bolívia, assim como Peru, Equador, norte chileno e norte argentino, esta não é a realidade. Não há muitas igrejas e as igrejas existentes estão cada dia mais centrando suas atividades dentro das quatro paredes. Outras eliminam por completo as atividades externas e, assim, o povo fica sem a oportunidade do encontro com a Palavra. Cada evangelista nas ruas pregando com um megafone ou uma caixa de som, fazendo a distribuição da Palavra de Deus escrita dá oportunidade a milhares de vidas de ao menos ter o encontro com a Palavra de Deus e, assim, poder ter a oportunidade de salvação. Este é o maior resultado que temos!

Pastor Peniel Dourado

Pastor Peniel Dourado

Minha oração é que o SENHOR levante muitos outros pregadores da Palavra não apenas aqui em Bolívia, mas em todos os lugares. Que o SENHOR levante Homens e mulheres que amem as almas e compreendam que só existe uma mensagem que pode conduzir o pecador à salvação; e esta mensagem é o Evangelho de Salvação.

Que o SENHOR multiplique seus guerreiros!

Pastor Peniel Nogueira Dourado

.

.

.

.

.

VÍDEOS COM ALGUMAS IMAGENS DO TRABALHO QUE REALIZAMOS NAS RUAS

1 – ) Com minha famíla pregando a Palavra de Deus

 

Acredito ser de suma importância que o missionário, o evangelista envolva sua família nas atividades evangelística. Os filhos devem crescer na maravilhoso ambiente de evangelismo, entre os evangelistas, amando a Obra do SENHOR. Agradeço a Deus pela esposa que tenho que muito me ajuda na Obra missionária.

.

2 – ) Trabalho realizado em um mercado de Santa Cruz chamado Nueva Feria.

Aqui mostramos um pouco de nossa rotina de trabalho. A ordem tem sido e continua sendo a mesma: A PALAVRA DEVE CHEGAR AO PECADOR!!

 

Anúncios
Categorias: Diario Missionário, Testemunhos | Tags: , , , , | 1 Comentário

Testemunhos sobre finança no trabalho missionário IV

Peniel e Mina

Pastor Peniel e Mina

Este é o nosso quarto poste falando sobre testemunho na área financeira. No final desta página vou colocar o link dos primeiros posts escritos. Também estarei colocando os testemunhos em datas. Infelizmente alguns eu não coloquei data exata, mas ao menos o ano vou procurar colocar.

Espero que o SENHOR edifique sua vida através do que ELE tem feito e continua fazendo.

20 de outubro de 2012  –  Santa Cruz de la Sierra, BOLIVIA

Escrevo alguns testemunhos e vejo que as situações se repetem. E o que aconteceu agora já aconteceu outras vezes e acredito que poderá voltar. Só tenho que glorificar ao SENHOR Jesus por tudo isso, pois em tudo podemos ver o Seu cuidado para com nossas vidas e pelo trabalho evangelístico.

Recebi a notícia de uma grande quantidade de material que estava na fronteira. Não tinha dinheiro para mandar trazer a Santa Cruz de la Sierra. Eu havia conversado com uma irmã que tem um caminhão para saber o valor do frete. Eu sei que essa senhora muitas vezes vem com o caminhão vazio da fronteira. Poderia até me oferecer trazer o material de forma gratuita, pois ela sabe que colocamos a disposição dos evangelistas sem cobrar nada, pois até a congregação que ela frequenta tem recebido os materiais evangelístico que trazemos. Mas aquela mulher me cobrou U$250 dólares para trazer os materiais. Como eu disse, poderia me ajudar, mas não ajudou. Ao menos foi uma benção, pois fez o preço bem inferior aos demais.

Mesmo assim eu não tinha o dinheiro. Fui ao meu quarto para orar e buscar a solução no SENHOR. A Obra é dEle e é com o dinheiro do Reino que mantemos este trabalho. Muitas vezes em situações assim tenho entrado em contato com líderes de secretaria de missões os quais nos oferecem ajuda, pastores e agencias missionária, mas só recebi as mais diferentes desculpas. Mas, porque devo jogar minha carga sobre eles? Eles têm suas cargas.

materiais evangelístico

Material Evangelístico na Base de Apoio – Bolívia

Então, fui ao meu quarto clamar ao SENHOR. Comecei apresentar minha necessidade ao SENHOR, dizer que precisava daqueles U$250 dólares para trazer os materiais. “Senhor, alguém tem esse dinheiro e sei que TU tens colocado no coração do teu servo ou da tua serva para oferta neste momento“. Enquanto orava recebo a ligação de um irmão que me diz que havia enviado U$250 dólares.

Desliguei meu celular e fiquei pensando no que aconteceu. Não tem sido a primeira vez que Deus age assim. Eu fiquei simplesmente maravilhado com a prontidão do SENHOR em agir, pois antes de eu pedir ELE já providenciava a provisão.

  –  Não anotei a data  –  2012

Ficamos sem dinheiro para nos manter aqui em Bolívia. Além disso eu havia prometido enviar materiais a Cochabamba e agora os irmãos nos pediam e eu não tinha dinheiro para levar no terminal de ônibus. Que situação!

Então, quando fui orar o Senhor me fez lembrar que eu fiz o propósito de fazer do SENHOR a minha fonte. ELE é minha Fonte! Eu estava buscando de um lado e outro os recursos para fazer o trabalho e acabei ficando sem dinheiro até mesmo para nossa alimentação.

Fui a presença do SENHOR pedindo perdão e confessar que é ELE quem nos mantem e mantem este trabalho, pois esta Obra é dEle. Assim, depois desta situação, irmãos nos escrevem dizendo ser tocados em nos ofertar. Começamos a receber ofertas e nossa necessidade foi suprida. Glória a Deus!

Pastor Peniel, Mina e Deborah durante o evangelismo

Pastor Peniel, Mina e Deborah durante o evangelismo

–  Não anotei a data  –  2012

O ano de 2012 tem sido uma ano de muitas dificuldades. Tomamos o alvo de envolver igrejas no trabalho, mas o grande problema é o espírito proselitista que há nas igrejas do Brasil. Acredito que isso não é apenas no Brasil, mas em todo mundo. Eles dizem:”Trabalha comigo que eu te ajudo”. Eu fico pensando nos muitos pastores de várias igrejas, assim como irmãos de diversos ministérios diferentes que nos tem ajudado até agora e querem que eu agora diga que este trabalho é de tal igreja? Acho que isso seria uma grande covardia.

Então tomamos o foco de não buscar ajuda, mas apenas dar a oportunidade de envolvimento. Não importa o valor, mas que haja envolvimento. Não queremos olhar para o valor que uma igreja possa nos enviar, mas na participação dessa igreja. Quando uma família se envolve no trabalho ofertante e orando nós temos apenas uma família. Mas quando uma igreja é envolvida ofertando e intercedendo por nós dezenas de famílias são parte no trabalho missionário. São parte através das ofertas participativas, assim como na intercessão.

Mas a situação não tem sido fácil. Começamos a usar mais nosso cartão de crédito e deixar o dinheiro em efetivo para compras as quais não podemos usar o cartão de crédito. Dias atrás tínhamos que pagar nosso cartão de crédito que era mais de R$500 reais e não tínhamos o dinheiro. Aproximando a data do pagamento começou a cair em minha bancária ofertas de diversos valores e de várias regiões do Brasil. As ofertas foram chegando até completar o valor que tínhamos que pagar. Tremendo!!

Passamos outra situação assim quando tínhamos que pagar R$ 1200 Reais do nosso cartão. De onde tirar esse dinheiro? Recebi uma e-mail de uma irmã do nordeste do Brasil que antes muito nos ajudava e havia parado de ofertar no trabalho. Ela dizia que estaria voltando a nos ajudar e nos enviou uma oferta. Nós recebemos ofertas em dobro de vários irmãos que sempre nos ajudam. Por fim, novamente pagamos nossa cartão de crédito.

Material para o evangelismo em Bolívia

Material para o evangelismo em Bolívia

  –  Não anotei a data  –  2012

Novamente chegou material para o trabalho e ficou na região de fronteira. As caixas foram passadas para o lado boliviano e ficaram na casa de um irmão na cidade de Quijarro, Bolívia. Mais uma vez não tínhamos o dinheiro para pagar o frente. Mas um pastor brasileiro me disse que estava indo para a fronteira e que traria as caixas com as literaturas. Também me disse que eu não precisava pagar logo o frete, mas apenas quando pudesse.

Calculei o frete e ficaria em torno de uns U$100 dólares e realmente fiquei preocupado, pois não tinha o dinheiro e não tinha de onde tirar. Mas eu recebi informações do pastor que já estava na fronteira dizendo que alguém se prontificou de levar as caixas até o terminal de ônibus e a empresa fez fez um bom desconto cobrando quatro vezes menos do valor normal.

Finalizando, nós conseguimos trazer os 350 Kg de material impresso pelo valor de U$23 dólares. Glória a Deus! O SENHOR é o maior interessado. Paguei o frete, fiquei quase sem dinheiro, mas os materiais estão aqui e sei que o SENHOR continuará suprindo.

29 de outubro de 2012 – Santa Cruz de la Sierra

Estamos chegando na reta final do ano de 2012 e temos aprendido muitas coisas. Entramos em contato com muitas igrejas e associações missionárias apresentando o projeto. Acreditamos que fazendo assim poderíamos obter parcerias para o trabalho, mas não tivemos bons resultados. Algumas igrejas começaram ajudar e simplesmente, sem dizer nada, pararam. Outros reduziram as ofertas a metade.

Nos anos de 2010 e 2011 fizemos muitas viagens dentro o fora de Bolívia, mas neste ano de 2012 não tivemos condições de fazer o trabalho em outras regiões. Sim, tivemos portas abertas para trazer os materiais. E trouxemos muito material, mas as lutas foram quase que intransponíveis para nos manter e fazer alguma coisa aqui.

Temos clamado ao SENHOR por misericórdia. Final de 2009, o ano de 2010 e 2011 foram anos de portas abertas.  Recebemos ajuda financeira de muitos lugares, participação de várias igrejas, várias irmãos enviando ofertas voluntárias e assim tivemos condições de alcançar diversas regiões de Bolívia, realizando os trabalhos de impacto, assim como apoiando os grupos de evangelismo. Mas 2012 foi o ano das grandes dificuldades.

Deus me fez lembrar da importância da oração em família. Quando ainda solteiro o SENHOR me chamou para trabalhar na Obra e disse que seria sustentado por ELE. Então clamei ao SENHOR rogando que minhas necessidades materiais fossem supridas em oração. Quando casei eu fiz a mesma oração. Tudo que necessitássemos seria alcançado diante do SENHOR e que nossa preocupação e alvo seria a Obra somente. Graças a Deus tem sido assim.

Bem, nós estamos sobrevivendo este ano de 2012.

Bandeira da Bolívia no El Alto - La Paz

Bandeira da Bolívia no El Alto – La Paz

FINAL DE 2012  –  O QUE APRENDEMOS?

O trabalho em plena expansão neste 2012 e nós sem condições financeiras que queríamos. Recebemos as ofertas que nos são enviadas com todo amor por irmãos de todo Brasil, pagamos água, luz, aluguel, colégio e novamente estamos sem recurso. Temos usado nosso cartão de crédito para a alimentação e dias antes de pagar estamos sem nada. Que situação!

Tenho orado ao Senhor pedindo alguém que nos ajude com o cartão de crédito. Sim, alguém pode nos ajudar pagando o cartão. E por que não? Mas orando ao SENHOR novamente Deus me diz: “EU SOU O TEU MANTENEDOR. EU SOU A TUA FONTE

Glória a Deus! ELE é minha Fonte! E tem sido assim. Tenho observado que dias antes do pagamento do cartão começamos a receber ofertas com as quais pagamos nosso cartão. Quase por todo este ano de 2012 tem sido assim. Em tudo podemos ver a mão de Deus.

Domingo, 10 de março de 2013  –  Santa Cruz de la Sierra, BOLIVIA

O irmão Fernando veio a nossa casa e estava desesperado, pois a proprietária havia pedido que desocupassem e eles não tinham recurso para pagar o aluguel de outro local. Fernando, esposa e dois filhos moram em um pequeno quarto. São pessoas de pouco recurso.

Eu estava com pouco dinheiro. Tinha vários compromisso, mas mesmo assim peguei do pouco que tínhamos e ofertamos B$400 Pesos Bolivianos ao irmão Fernando. Ele ficou tão feliz! Meu coração estava cheio de gratidão por aquela oportunidade de ajudar o servo do SENHOR. Mas fiquei sem dinheiro.

Dias depois veio a nossa casa os missionários Hudney e sua esposa Simone. Eles passaram alguns dias em nossa casa e quando retornaram ao Brasil o irmão Hudney me deu um envelope. Dentro havia Bs 380 Pesos Bolivianos. Fiquei tão alegre por ver a mão do SENHOR suprindo, agindo ao nosso favor. Dias antes havia ofertado Bs 400 e logo depois Deus usou o seu servo para nos ofertar B$380. Glória a Deus!!

VIAGEM AO BRASIL  –  22 de julho de 2013  

Tive que ir ao Brasil para agir alguns assuntos pessoais. Deixei Mina com U$150 dólares para comprar o necessário para a casa e pagar o frete do caminhão que estava por chegar com folhetos. Eu não prestei a atenção, mas o dinheiro que tinha em minha conta bancário e que eu contava para viajar ao Brasil era justo para pagar o cartão de crédito. Fiquei sem dinheiro para qualquer imprevisto e precisava do mover de Deus para fazer essa viagem. Mas havia paz em meu coração!

Cheguei na fronteira, cidade de Corumbá e comprei a passagem para Campo Grande. Infelizmente não sobrou muito para viajar, pois fiquei com R$7,00 Reais ( U$3 dolares) no bolso. Às vezes fico pensando porquê as coisas devem ser assim. Deus sempre me mostra que é bom que seja assim para eu ver a Mão do Senhor suprindo, operando e não confiar nos homens e nem em mim mesmo.

Eu entrei no ônibus na cidade de Corumbá em direção a Campo Grande. Busquei meu assento e fiquei pensando como seria dali em diante. Então, inesperadamente, meu tio Adauto que mora em Corumbá entrou no ônibus e me entregou R$200 Reais (U$100). Ele disse que era uma oferta para me ajudar na viagem. Nem precisar dizer que saltei de alegria por ver a provisão do SENHOR. Deus tem seus servos na hora certa para prestar o socorro oportuno.

Chegando em Campo Grande foi ao encontrei um irmão da Igreja Quadrangular que acompanha nosso trabalho. Fiquei feliz em saber que esta sempre vendo nossas postagens, assistindo os vídeos que colocamos e também ora por nós. Bem, este irmão nos ofertou mais R$ 50 Reais.

Eu não havia falado para ninguém sobre minha situação, mas onde eu pisava meus pés o SENHOR colocava alguém para nos ofertar. Assim, eu tive condições de ir a Campo Grande, agir o que tinha que agir e voltar. E quando chego em Santa Cruz de la Sierra e vou somar o que havia recebido de oferta fiquei de boca aberta: Eu tinha recebido de oferta quase R$ 2000. Aleluia! O SENHOR é maravilhoso!

Chegada dos materiais da REVIVAL

Chegada dos materiais da REVIVAL

14 Setembro de 2013  –  Santa Cruz de la Sierra

Recebemos da Irlanda do Norte 2 toneladas de material impresso para o trabalho evangelístico. Mas o material veio no contenedor junto com os materiais de uma outra missão daqui de Bolívia. O diretor me disse que deveríamos dividir os gastos das documentações de Aduana que chegaram aos U$1500 dólares. Então, eu deveria pagar U$700 dólares, fora o frete. Total seria uns U$750 dólares.

Eu estava sem recurso. Escrevi para alguns irmãos buscando ajuda, mas não consegui nada. Então fomos para a oração, pois a Obra é do SENHOR. Eu, minha esposa Mina e alguns irmãos começamos a orar, apresentar ao SENHOR Jesus esta necessidade.

Abri meu e-mail e havia um correio do diretor da Revival Moviment Association, a missão que faz a impressão dos materiais. Eles me falaram que eu não precisava pagar nada, pois minha parte eles pagariam.

Glória a Deus!!! O SENHOR é maravilhoso.

06 Novembro de 2013  –  Santa Cruz de la Sierra

O VISTO DA DEBORAH

Hoje nós demos entrada no visto da minha filha Deborah. Todos esse tempo ela estava sem documentos, pois não tínhamos dinheiro. Era uma luta ter que sair de Bolívia. Não podíamos sair de avião, não podíamos pegar o trem até a fronteira e com muito risco tínhamos viajávamos de ônibus. Realmente foi um período complicado para nós.

Bem, a Migração de Bolívia mudou algumas leis dando por “perdoando” a dívida dos que não tinham documentos. E de U$1000 dólares pagaríamos apenas uns U$350 no total. Graças a Deus por essa grande oportunidade.

Aproveitamos a oportunidade e demos entrada. Mas não foi tão fácil, pois começaram a pedir um documento e outro. Documentos que eu já havia apresentado a migração pedia novamente. Como tenho visto de missionário eles queria que várias igrejas me dessem o respaldo, mas o problema é a apresentação dos documentos da igreja. A burocracia é muito grande e muitas vezes nos pedem documentos que fica inviável apresentar. Exemplo disso é um pastor dar uma carta de respaldo. Ele deve provar que é pastor da igreja. Então, deve pertencer a diretiva e para isso deve trazer as documentações da igreja. Mas a migração não aceita cópias, só documentos originais. E como vão entregar um documento original da igreja? Você me diz: Tira cópia e autentica. Mas aqui o sistema de cartório é bem diferente e no final, o reconhecimento via notário (cartório) eles não aceitam. Querem a original e pronto.

Então, como apresentar um documento assim? É quase impossível! Mas não estávamos dispostos a desistir. Então, voltamos para casa. Já estávamos vários dias indo e voltando, mas desta vez sentei em casa e comecei lembrar das dificuldades das primeiras documentações. E nós vencíamos na oração. Eu disse a Mina que não voltaria a Migração Bolívia depois de um período de uma semana de oração. Nós vamos orar e Deus vai nos dar vitória.

Então começamos a orar, apresentar ao SENHOR Jesus aquela dificuldade. Depois de uma semana voltei a Migração Bolívia. Havia vários guichês atendendo e alimentei a esperança de ser atendido por outro funcionário que não me fizesse todas aquelas exigências. Mas infelizmente fui chamado pelo mesmo atendente. O pior é que ele olhou para mim e lembrou do caso. Sai da Migração no ponto zero.

Deborah com a identidade boliviana em mãos

Deborah com a identidade boliviana em mãos

Lembrei de uma irmã que é advogada. Falei com ela sobre o caso e ele me indicou uma senhora que trabalha dando orientações na migração. Quando voltei no prédio da Migração em Santa Cruz e liguei no celular da senhora ela estava justamente a minha frente. Contei meu caso e disse que os atendentes estavam buscando dificultar minha situação. Aquela mulher falou com um e com outro e dentro de algumas horas os papéis da Deborah estavam carimbados. Glória a Deus!!!

E quem nos deu a vitória? Foi aquela mulher? Claro que não! Foi o SENHOR Jesus!!!!

 

? Novembro de 2013 – VIAGEM A JOÃO PESSOA, BRASIL

Durante este ano eu estive em contato com duas igrejas da cidade de João Pessoa as quais estavam interessadas em apoiar o projeto. Adianto que acreditar nas promessas dos homens é o caminho certo a frustração. E fiquei frustrado mais uma vez. Mas não quero entrar nesse detalhe, mas vou olhar e relatar o lado da benção.

Bem, acreditando que seríamos apoiados e que nossa presença ajudaria alguma coisa começamos a orar sobre ir a João Pessoa. Então, um irmão de Brasilia nos disponibilizou a pagar nossas passagens de ida e de meus tios de São Paulo ganhamos as passagens de volta. Glória a Deus, pois já tínhamos as passagens, mas o recurso para viajar?

Eu tinha R$600 reais, mas fazer uma viagem com a família pelo Brasil não é fácil. Sempre há imprevisto, gastos no aeroporto, alimentação e etc. Mas sentimos paz e resolvemos fazer a viagem.

Quando chegamos em João Pessoa e estava com o coração apertado. Não é fácil ficar em casa alheia sem recurso, mesmo sendo de um parente. Estivemos em oração por isso. Mas quando eu fui no banco havia um deposito de R$1000 Reais. Glória a Deus!! Recebemos a oferta dessa pessoa e até hoje nunca recebemos um e-mail dizendo quem era. Só sei que é alguém de Maceió, pois vimos a origem do depósito. E a benção não terminou por ai. Recebemos o mesmo valor em dezembro e em janeiro. Glória a Deus!

Além dessa grande ajuda que chegou em momento oportuno eu comecei a receber convites de igrejas para pregar. Eu não buscava igrejas e nem pedíamos ofertas, mas recebíamos convites e eram retiradas ofertas. Estávamos vendo a mão de Deus sendo estendidas de todos os lados e somos gratos por tudo isso.

Não dei certo o encontro com os os dois secretários de missões em João Pessoal, mas, como eu já disse, fiquei triste, frustrado com tudo aquilo. Mas os planos de Deus eram outros.

Pegamos o avião para São Paulo onde ficamos mais alguns dias. Tivemos a oportunidade de visitar a igreja Assembléia de Deus de Ribeirão Pires e sem esperar foi nos dado a oportunidade de dar uma palavra. Também inesperadamente o pastor retirou uma oferta para nos ajudar. Tudo isso foi no final do culto e eu fiquei surpreso quando recebemos um pouco mais de R$500 Reais. Além disso a secretaria de missões da igreja marcou o alvo de nos enviar bíblias para o trabalho.

Quando chegamos na casa dos meus tios eu fiquei pensando em tudo aquilo. Não buscávamos ofertas, mas o SENHOR tocava nos corações para que nos ajudassem. Havia muito tempo que eu orava por bíblias e sem esperar e planejar o SENHOR abriu as portas. Glória a Deus!! Tudo isso é o SENHOR que faz.

Quando chegamos em Bolívia não tínhamos nenhum Real devendo e tínhamos mais de R$ 2500 Reais em nossa conta bancária. Louvamos ao SENHOR pela provisão, pois geralmente os três primeiros meses do ano não recebemos muitas ofertas e temos muitos gastos.

O SENHOR cuida de cada detalhe!

O PACATO ANO DE 2014 – santa Cruz de la Sierra, Bolívia

Olhando o meu caderno observo que não tenho feito muitas anotações, mesmo sendo um ano cheio de bençãos. Tivemos um acréscimo no número de evangelistas, mesmo sem eu ter tanta oportunidade de viajar e fazer os contatos. Assim o SENHOR mostra que a Obra é dEle e ELE faz como quer.

Nesse ano conseguimos outro local para nossa Base de Apoio. Conseguimos um casa muito maior, mais nova, com mais quartos e lugares seguros para colocar os materiais pagando o mesmo valor da casa antiga. Essa foi uma grande benção neste ano de 2014.

Algo que aconteceu nesse ano de 2014 em nossa finança foram as ofertas inesperadas. Irmãos de vários lugares do Brasil tem nos ajudado a fazer o trabalho. A maioria não faz compromisso de apoio e muitos nos ajudam uma ou duas vezes, mas podemos ver o SENHOR movendo os corações para nos ajudar. E assim vamos tendo condições de manter o trabalho aqui em Bolívia.

Chegada de Samuel Yuuki

Chegada de Samuel Yuuki

O NASCIMENTO DO SAMUEL YUUKI

Samuel nasceu no dia 14 de novembro de 2014. A questão financeira era bem complicada, pois aqui em Bolívia nada, nada mesmo é de graça. Quando se trata de saúde as mínimas coisas devemos comprar. E como não temos um recurso tão folgado tudo isso nos preocupava muito.

Comecei a receber ofertas para nos ajudar no parto, mas antes do parto estávamos tendo muitos gastos com exames, consultas, remédios e etc. Durante o mês de outubro recebemos algumas ofertas extras que chegava aos U$800 dólares. Tirei do banco e guardei o dinheiro em casa. Mas o parto na clínica marcada custava U$1200 dólares e não conseguíamos juntar mais.

Mina começou a ter contrações e estava sofrendo muito. Nós havíamos insistido por um parto normal, mas nos últimos dias o médico disse que o bebê estava de lado e não poderia ser parto normal, mas que havia possibilidade com as contrações o bebê encaixar-se. bem, ficamos na orientação do médico.

Minha grande preocupação era o recurso, pois não tinha mais de U$800 dólares. Confesso que eu havia olhado várias vezes e pensava como Deus agiria. Mas sempre o SENHOR falava ao meu coração: Fica tranquilo e vejo o que eu vou fazer.

Nos dias que Mina estava tendo contrações uma missionária, a irmã Celi Nascimento de Salvador, Bahia, que há muito tempo está em Bolívia e que havia terminado medicina veio nos visitar. Quando ela viu Mina disse que essa situação não era correta e nos disse que o médico que estávamos indo era pouco humano. Ela nos insistiu para buscar outro médico e nos apresentaria a um doutor que foi professor dela na faculdade. A missionária Celi ligou para o médico perguntando se poderia nos atender de emergência. O médico disse que não havia problema. Eu pedi para Celi perguntar quando seria o parto. O médico respondeu: “Será U$800 dólares!!”.  Glória a Deus!!

Fomos ao hospital e Mina foi atendida. Samuel nasceu bem, assim como Mina também estava muito bem. Eu não sabia que os U$800 dólares seria apenas os gastos com os médicos e hospitais e não incluía os medicamentos. Assim, usando meu cartão de crédito gastamos mais U$400 dólares com uma série de medicamentos. A irmã Celi me disse que aqui em Bolívia é assim. Então, na outra clínica eu gastaria uns U$1600 dólares com tudo incluído. Só Jesus mesmo!!

Samuel Yuuki em família

Samuel Yuuki em família

Nosso final de ano foi com nosso cartão de crédito em dívida. E não tínhamos de onde tirar. Havia em nosso coração a confiança que algo o SENHOR faria por nós. E o SENHOR Fez, como sempre tem feito.

Fomos ao Paraguai final de dezembro e estava pensando o que poderia fazer. Conversei com Mina e ela me disse que não queria que eu viajasse para ir em nenhuma igreja para buscar dinheiro. O SENHOR tem nos ajudado até agora e é dEle que virá a ajuda. E louvamos ao SENHOR, pois foi justamente assim, pois durante o mês de janeiro nós recebemos ofertas extras de várias regiões. Irmãos do interior de São Paulo, vários estados do nordeste do Brasil, região norte e no final conseguimos pagar nosso cartão. Glória a Deus!

VOLTANDO À BOLÍVIA  –  Começo de 2015

Já estamos para voltar a Bolívia e não tínhamos dinheiro em reserva. Em Bolívia nos esperava contas de água, luz, internet, aluguel, colégio da Deborah e tudo em atraso. Como pagaríamos? Além das contas pessoais temos recebido e-mail dos irmãos de toda Bolívia os quais necessitam de materiais. Muitos temos que pagar o frete, pois eles mesmo não tem condições. E de onde tirar o dinheiro?

O dinheiro virá dAquele que nos enviou a Bolívia. Aquele que nos mandou fazer o que fazemos da forma que estamos desenvolvendo, ELE mesmo suprirá. E o suprimento vindo de Deus é com glória manifestando a gradeza do seu poder.

05 DE MARÇO DE 2015  –  SANTA CRUZ E LA SIERRA

Entrei em meu quarto para orar e buscar a presença do SENHOR Jesus. Eu clamava ao SENHOR por mantenedores, pois a situação financeira não está fácil. Os manutenção aqui tem se tornado difícil com a crise financeira.

Mas enquanto eu orava ao SENHOR por mantenedores o Espírito do SENHOR fala ao meu coração: “NÃO CLAME POR MANTENEDORES, POIS EU SOU O TEU MANTENEDOR. CLAME PARA QUE TEUS RECURSOS SEJAM AMPLIADOS”. Glória a Deus! Deus é Deus meu irmão. ELE é Fiel!

ABRIL DE 2015  – SANTA CRUZ DE LA SIERRA

Alguns dias atrás usamos toda o crédito que nossa cartão de crédito e ficamos apenas com o dinheiro que tínhamos nas mãos. A finança apertou mesmo e ainda nos faltavam quase 15 dias para o início do mês quando receberíamos alguma oferta. Mas nosso dinheiro acabou e agora estávamos sem dinheiro e sem como fazer as compras no cartão.

Eu fui orar ao SENHOR e Deus derramou uma profunda paz em meu coração. Sinceramente eu não sei como explicar, pois aqui não temos de onde conseguir.

No outro dia pela manhã um pastor me ligou dizendo que precisava de material e perguntou se eu tinha. Eu disse que sim e marquei o horário para ele buscar as caixas com as literaturas para o evangelismo. Quando o pastor chegou eu entreguei os livretos. O pastor olhou para mim e disse: “Pastor Peniel, eu sei que você não cobra pela literatura e nem mesmo pede oferta, mas nós tiramos uma oferta em nossa congregação para te abençoar“. Eu disse que não cobramos e não pedimos ofertas, mas nosso objetivo é abençoar o serviço evangelístico. Mas ele disse que a oferta foi levantada com amor e que o irmãos também queriam me ajudar. Então ele colocou a mão no bolso e tirou a oferta. Eram Bs 1000 Pesos Bolivianos, aproximadamente U$ 140 dólares.

Amado irmão, meu coração inundou de regozijo. O SENHOR cuida dos seus!!

SETEMBRO DE 2015  –  SANTA CRUZ DE LA SIERRA

Já estamos chegando na reta final deste ano. Louvo ao SENHOR por ter nos dado muitas oportunidades e expandir o trabalho aqui em Bolívia. Infelizmente estamos vendo muitos trabalhos missionário parandos, missionários voltando para o Brasil e tudo isso é por causa da desvalorização do Real Brasileiro. Aqui na Bolívia a moeda local é o Peso Boliviano, mas a base de valor é o dólar, assim, quando o Real desvaloriza vemos literalmente nosso recurso encolhendo.

Com essa crise toda temos buscado meios alternativos para o envio de materiais. Temos falado com proprietários de empresas de transporte os quais têm nos ajudado por um tempo. Aproveitamos viagens de irmãos que tem veículo próprio e até em caminhão carregado de grãos temos enviado materiais para apoiar os evangelistas. A maior parte dos evangelistas são pobres  não podemos enviar à cobrar, pois realmente eles não tem. E com o recurso financeiro que temos fica difícil pagarmos o frete para todo mundo.

Saindo ao evangelismo

Saindo ao evangelismo

Mas, todas essas barreiras colocamos diante do SENHOR e Deus vai nos dando o escape. Todos os dias estamos em oração para que o SENHOR amplie nosso recurso e que possamos cumprir o alvo. Oramos pelas igrejas, as agencias missionárias, os irmãos que ajudam este trabalho. Oramos para Deus levantar outros a somar forças conosco. E assim vamos vivendo cada dia o milagre de Deus.

E desejo terminar este post com uma frase que gosto de falar aos missionário:

MELHOR QUE A SOLUÇÃO DO PROBLEMA É VER A MÃO DE DEUS SOLUCIONANDO O PROBLEMA

Peniel Nogueira Dourado

.

.

PRIMEIRO post sobre Testemunhos financeiros em missões  –  CLIQUE AQUI

SEGUNDO post sobre Testemunhos financeiros em missões  –  CLIQUE AQUI

TERCEIRO post sobre Testemunhos financeiros em missões  –  CLIQUE AQUI

Categorias: Testemunhos | Tags: , , | Deixe um comentário

Testemunhos sobre finança no trabalho missionário III

Pastor Peniel, Mina e Deborah

Obs.: Este é o nosso terceiro poste falando sobre testemunho na área financeira. Estava relendo as situações e muitas vezes parece repetitivo, mas é o que Deus tem feito.

O motivo de escrever estes testemunhos em um caderno é, em primeiro lugar, para minha própria edificação. Deus é fiel e se Ele um dia supriu para nossas necessidades suprirá novamente. Reler o testemunhos alimenta minha fé. Em momentos de dificuldades busco tirar tempo para meus cadernos que tem sido tesouro para meu ministério. E também pensando em animar outros estamos postando aqui. Espero que você seja edificado!

Deus é fiel! As dificuldades financeiras tem sido barreira para muitos impedindo a ida ao campo missionário ou forçando abandonar o campo missionário, mas aqueles que confiam no Senhor e faz de Jeová Jiré sua única fonte provará que ELE É FIEL!

02 de fevereiro de 2009  –  Santa Cruz de la Sierra

(resumo)

Eu estava muito preocupado com relação a nossa finança, pois a proprietária da casa que é nossa Base de Apoio nos falava novamente de aumento. O aluguel aumenta, mas o nosso recurso não tem aumentado. Realmente fiquei bem angustiado.

Acordei bem cedo e pensava no assunto. Logo veio uma Palavra do Senhor ao meu coração. “Soma as ofertas do mês de dezembro de 2008 e as ofertas de janeiro de 2009”. Pulei da cama, busquei o pequeno caderno onde anoto as ofertas retiradas nas reuniões em nossa Base de Apoio. Bem, em dezembro de 2008 entrou B$ 784,5 e em janeiro havia entrado justamente o mesmo –  B$ 784,5 Pesos Bolivianos. Não é pelo valor, pois em dólar seria, aproximadamente, uns U$ 110 Dólares Americanos. Mas Deus me falou do valor – B$ 785,5 nos dois meses. Até mesmo os centavos era o mesmo. Meu coração estava explodindo e o Senhor falando comigo: PENIEL, TUA FINANÇA ESTÁ NAS MINHAS MÃOS!!!!

Trabalho evangelístico na fronteira de Bolívia e Argentina – Julho 2009

06 de junho de 2009  –  Santa Cruz de la Sierra

A VISÃO DOS RECURSOS DE DEUS

Eu estava sem dinheiro e sai em busca de um caixa eletrônico. Não havia nada em minha conta bancária. Precisava comprar algo para casa, mas não tinha dinheiro. Enquanto andava recebi uma mensagem do meu irmão dizendo que havia depositado um dinheiro em minha conta. Eu fui ao supermercado para fazer algumas compras e usei o mesmo cartão para pagar tudo que tinha comprado. A diferença era que agora havia dinheiro.

Deus me fez meditar sobre isso. Eu não havia visto dinheiro nenhum, mas coloquei as mercadorias em meu carrinho e confiei que havia saldo em minha conta. Na nossa conta espiritual devemos buscar também obter saldo positivo.

Em certa ocasião estava andando na rua e veio uma imagem em minha mente. Não sei dizer bem como foi, mas só sei dizer que era bem real e inundou meu coração da presença de Deus. Eu via meu quarto abarrotado de dinheiro. Não era dinheiro sobre uma mesa, mas na realidade quando eu abria a porta havia dinheiro do chão até o teto do quarto. Sei que o Senhor me falava das riquezas de Deus que é muito maior do que podemos imaginar. E aquele quarto é o lugar onde tiro para orar. É o meu lugarzinho e oração!!!!

O recurso de Deus é muito maior que um quarto abarrotado de dinheiro. Ele é dono do ouro e da prata. Quando colocamos Deus como nossa fonte e vivemos os projetos de Deus não tememos a escarces. Quando os recursos humanos passam a ser nossa fonte os resultados são bem diferentes.

07 de dezembro de 2009  –  Santa Cruz de la Sierra

Nosso recuso tem sido apertado. Pagar o aluguel, manutenção, gastos do trabalho, as viagens, enviar materiais de um lado para outro e etc. Senhor tem misericórdia!!

Sobre isso começamos a orar e apresentar ao Senhor. O nosso aluguel estava levando 50% de toda nossa renda e não estávamos conseguindo manter os gastos, quanto mais fazer o trabalho que estava sob nossa responsabilidade. Mas começamos a orar e apresentar ao Senhor Jesus a situação.

Em poucos dias Deus nos abriu as portas. Deus levantou novos mantenedores e começamos a receber o dobro do que estávamos recebendo. Glória a Deus!!! Já podemos fazer planos para desenvolver o que Deus tem colocado em nosso coração.

Fico alegre com cada irmão que nos ajuda. Buscamos manter contato com cada colaborador. Mas, tenho duas colaboradoras que realmente me deixam muito feliz. Uma do sul do Brasil. É uma senhora que trabalha de babá, mas todo mês envia R$ 15,00 reais ao nosso trabalho. Sei que essa irmã tem uma vida sofrida, mas Deus tem colocado no coração ser parte desse trabalho.

Outra irmã está em São Paulo. Ela trabalha vendendo marmita nas construções na grande São Paulo. Muitas vezes me escreve pedindo oração por parentes, conta seus problemas e etc. Mas, mesmo tendo tanta dificuldade ela nos envia R$ 50 reais todos os meses. Depois envia sua carta dizendo: Pastor, já enviei minha participação”. Glória a Deus!!! Com certeza não temos apenas essas duas irmãs mantendo este trabalho. Glorificamos a Deus por cada participante, cada missionário que faz presente no trabalho evangelístico, irmão que nunca pisaram no campo missionário, mas estão ao nosso lado através das ofertas e oração.

Deus sempre me faz lembrar que durante os trabalhamos que realizamos que esses irmãos estão conosco. Cada passagem, recursos do frete, qualquer gasto necessário no trabalho também está presente o suor de cada irmão. Deus está vendo tudo isso!!!!!!!!

16 de Agosto de 2010  –  Santa Cruz de la Sierra

Deus tem aberto as portas ao trabalho no ano de 2010. Já estamos em agosto e já temos feito muita coisa aqui.

Impacto Evangelístico no colônia Okinawa – Dep Santa Cruz Set 2010

Realmente, sou grato a Deus. Temos orado por isso e o Senhor tem nos respondido. Este ano tem sido um ano de muitas atividades no campo, muitas oportunidades. Irmãos tem somado forças no trabalho evangelístico. Tudo isso é resposta de oração.

Mas, ampliando o trabalho também amplia os gastos. Tenho registrado algumas ofertas enviadas que vieram para nos socorrer.

Recebemos R$ 50 reais de um pastor de São Paulo que conhecemos durante uma visita a cidade de Dourados. Outro irmão enviou R$ 300 reais e para completar a benção. Deus move o coração de uma irmã no nordeste do Brasil que nos envia R$ 690 reais.

O trabalho estava a ponto de parar, mas Deus moveu vidas de todos os lados. Este projeto é do Senhor, não é meu! Também sei que Deus é quem abençoa cada irmão que participa neste trabalho. Deus me deu duas oportunidades: Como pastor participar no trabalho missionário de um irmão que estava ativo no campo. Deus abençoou muito nossa congregação na época. Minha meta era envolver a igreja. Fazer sentir que estava lá, pois realmente estávamos lá através das nossas orações e ofertas. Não podíamos está lá, mas nós enviávamos nosso tempo, esforço, nossas preocupações e etc através do dinheiro que cada irmão lutava para conquistar. A outra oportunidade foi quando por muito tempo ajudei um missionário na África. Foi um propósito meu diante do Senhor. Deus me prosperou e sabia que eu estava lá, pois eu gastava tempo, esforço, derramava meu suor para obter aquele dinheiro e investia na Obra Missionária.

Louvo a Deus pois hoje somos os missionários e Deus tem levantado pastores e irmãos voluntários para estarem ao nosso lado.

05 setembro de 2009  –  Santa Cruz de la Sierra

PROGRAMA DE RADIO SOS VIDA DESTE BOLÍVIA

Novamente estamos fazendo o programa SOS VIDA daqui mesmo de Bolívia. São 3 horas no ar. Que benção. E não pagamos nada! A proprietária da emissora no Paraguai nos deu o horário. Gloria a Deus!

Antes de vir a Bolívia nós estávamos no Paraguai e fizemos a frente do programa no Paraguai por mais de 3 anos. Paramos porque viemos a Bolívia. Começamos com meia hora, depois uma hora. Posteriormente já estávamos com uma hora e meia de programa. Era uma luta para pagar, mas Deus sempre abria as portas.

Chegou um tempo que a proprietária Da emissora gostou do nosso trabalho e doou o horário. Glória a Deus por tudo isso.

OBS.: Atualmente o programa é realizado pelo jovens da Misión Siloé e sempre estão colocando nossas gravações, leitura de devocionais e, as vezes, realizamos participação daqui de Bolívia. O link e horário deixo abaixo. Não esqueça de mandar uma saudação pra nós. ( …rs..rs…rs..)

EMISSORA NO PARAGUAI – Amanecer FM 103,1

PROGRAMA SOS VIDA das 21:00 às 23 horas ( horário paraguaio)

www.desdeparaguay.com/amanecer

10 de dezembro de 2010  –  Santa Cruz de la Sierra

MAIS PROVISÃO DO SENHOR!!

O ano de 2010 tem sido de muitas viagens e trabalhos por todos os lados. Já temos trazido uma grande quantidade de material e Deus tem levantado outros para estarem nas ruas pregando a Palavra.

Mas estamos chegando ao final do ano e sempre este período é de trevas ao serviço missionário. Todo mundo viajando, se preparando para Natal e ano novo e etc. Muitos gastos e quase ninguém se lembra da obra missionária. Já tivemos momentos de grande dificuldade em que não tínhamos nada para comer no dia de natal de 2008. Mas Deus enviou um irmão para nos trazer um frango bem grande. Foi realmente um milagre de Deus.

Confesso que nós estávamos pensando em algo assim para este 2010. Senhor, tem misericórdia  –  esta era nossa oração.

Mas Deus é poderoso. Em poucos dias recebemos um oferta de 450 reais de um irmão. Ficamos alegres com a provisão do Senhor. Mas Deus não parou por ai, pois outro irmão nos enviou R$ 520 Reais. E para finalizar um irmão nos enviou uma oferta de R$ 1400 Reais. Amados, só podemos louvar ao Senhor!!!!  Em um dia estávamos terminando o ano com as contas atrasas e em poucos dias o Senhor derrama sua benção sobre nós.

Desaguadero (Perú), região da fronteira entre Bolívia e Peru.

Paguei água, luz, aluguel, fizemos as compras e já tínhamos recurso para nosso final de ano. Louvado seja o Senhor Jesus!!!

30 de Abril de 2011 – Santa Cruz de la Sierra

No dia 14 de abril deste ano nós realizamos o primeiro trabalho de impacto na cidade de Potosí. Esta é a segunda cidade mais alta do mundo estando a 4200 metros de altitude. Perde apenas para uma cidade que está na China situada a mais de 5000 metros de altitudo.

Mas, vimos tanta necessidade naquela cidade. Muita opressão, bruxaria, o povo dado ao paganismo. O que partiu meu coração foi quando anunciamos que tínhamos Novos Testamentos ao povo de uma feira e simplesmente o povo se levanta e vem correndo buscar um exemplar. Nos imploravam por um Novo Testamento e muitos diziam que não tinha nem bíblia e nem Novo Testamento em sua casa. Vimos a sede por Deus naquele lugar. Voltei para Santa Cruz com o coração partido.

Mas tivemos muitas oposições. Quase não conseguimos sair de Santa Cruz por causa das paralisações. Ficamos parados pelo menos em três bloqueios pela estrada. Também ficamos parado um bom tempo por um deslizamento de terra e para completar eu estava com dengue. Pensei que era uma gripe, mas era dengue mesmo.

Mas esta viagem começou com um milagre. Não tinha dinheiro para fazer o trabalho em Potosi. Foi quando entrei no quarto e comecei a orar e expor a Deus o meu desejo de fazer o trabalho na capital potosina. Enquanto orava ao Senhor o meu celular tocou. Observei que era um número estrangeiro, porque apareceu vários zeros. Quando atendi um irmão me fala rapidamente: Pega um caneta e papel. Eu fiz como me mandava. E começou a ditar números. Depois de disse: Vai no Western Union, pois enviei U$ 250 dólares americanos para você.

Sobre o terraço de uma casa de onde pregávamos ao povo da feira da cidade de Potosí

Eu desliguei o celular e estava maravilhado. Na realidade, antes de eu horar o Senhor já estava provendo o recurso. Glória a Deus!!!

18 de Maio de 2011  –  Santa Cruz de la Sierra

Hoje paguei o restante do nosso visto, nossa permanência em Bolívia. No total gastamos R$ 2500 reais para poder ter nossa documentação. Deborah continua sem os documentos, mas cremos que o Senhor abrirá as portas.

Mas temos orado por este dinheiro. O dia de apresentar os documentos estava chegando e nós orávamos ao Senhor. O interessante é que nos outros anos passei grande apuro, fiquei realmente muito preocupado. Mas agora não. Acho que fui anestesiado pelo Senhor. A questão é que Deus levantou pessoas para oferta em nosso trabalho, fomos guardando o recurso e hoje, graças a Deus pagamos esse documento.

Louvamos a Deus por cada irmão que nos tem ajudado, pois somos cientes que é Deus que levanta o seu povo.

05 de julho de 2011  –  Santa Cruz de la Sierra

Quero deixar registrado aqui o milagre que o Senhor fez de provisão para nossa viagem a Oruro. Vai parecer até repetitivo, mas isso também mostrar o mover de Deus. Amados, em tudo vejo a mão do Senhor!

Falamos aos irmãos sobre nosso desejo de viajar a Oruro. Não tínhamos condições e falamos para os irmãos que estariam participando no evangelismo para orarem para Deus abrir as portas. Não tínhamos dinheiro e não tínhamos de onde tirar. Em nosso coração apenas ardia o desejo de fazer a obra, de alcançar aquela cidade. Então, pedi para os irmãos que orassem para Deus abrir as portas.

Nos trabalhos de impacto eu convido evangelistas que possam nos ajudar nas atividades evangelísticas nas feiras. Nós vamos entre cinco ou seis e a maior parte dos irmãos não tem dinheiro para fazer a viagem. Mas são homens de Deus, cheios do Espírito de Deus. E como o projeto é meu, eu pago os gastos. O que devem fazer é apenas chegar e fazer o trabalho.

Novamente, da mesma forma que nos passou em abril deste ano, eu orava em meu quarto e meu celular tocou. E da mesma forma, anotei números e o irmão que estava do outro lado me dizia que envia U$ 300 dólares americanos. Glória a Deus!! A resposta de Deus para o trabalho.

Quero deixar bem claro que esse irmão não sabia de nada, eu não havia dito da viagem, mas com certeza eu sei que o SENHOR moveu o coração do seu servo para enviar a oferta e, assim, nós tivemos condições de realizar o trabalho evangelístico na cidade de Oruro, Bolívia.

Os materiais chegando a nossa Base de Apoio em Santa Cruz de la Sierra

23 de julho de 2011  –  Santa Cruz de la Sierra

Eu estava com várias caixas com materiais para o evangelismo na fronteira do Brasil com Bolívia. As caixas geralmente ficam na casa do meu tio Adauto. Realmente tem sido uma benção para nossas vidas, pois além de serem colaboradores no trabalho também estão sempre recebendo os materiais. Certamente a recompensa vem do Senhor.

Meu cunhado Ebenezer ficou sabendo dos materiais e me ligou perguntado se eu tinha recuso para trazer a Santa Cruz. Eu disse que estava vários dias orando, pois realmente estava sem dinheiro. Ebenezer me diz: Então fica tranquilo, estou aqui com U$250 dólares e hoje envio para você.

Mais uma vitória no trabalho. Mais materiais evangelístico no território boliviano!!

03 de outubro de 2011  –  Santa Cruz de la Sierra

Recebemos a visita de minha irmã Rebeca e meu cunhado Ebenezer. Eles vieram para nos ajudar e realizar o evangelismo. Em Santa Cruz de la Sierra temos trabalhado muito na região periférica da cidade, nas feiras da periferia. Ebenezer veio com seu veículo da cidade de Quito, Equador, com a finalidade de nos apoiar.

Mas justamente neste mês entramos numa crise. Foi uma provação terrível. Eu havia recebido justamente para pagar aluguel, agua e luz. Não tinha recurso para quase nada.

Conversei com Mina sobre a situação para orarmos ao Senhor. Dias depois um irmão nos enviou uma oferta de R$750,00. Meu coração estava explodindo na presença do Senhor. Quem envia R$750 assim, sem mais e menos se não é o Senhor??? Você já pensou sobre isso? Quem doa esse valor? Quem tem a capacidade de tirar do seu bolço o tal valor e doar a um trabalho missionário do qual não tem nenhuma relação? Amado, é Deus quem faz isso!!!

Minha irmã Rebeca a direita e ao meu lado o pastor Ebenezer. Vieram de Quito, Equador para nos apoiar no trabalho evangelístico

Mas a benção não parou ai. Outro irmão nos enviou mais R$ 550, 00 para o trabalho. Glória a Deus!!

Aproveitamos o veículo do Ebenezer para fazer o trabalho por todo lado. As vezes eu fico perguntando porque tem que ser assim? Não poderíamos ter um recurso mais estável? Mas, sempre a resposta no meu coração é: Eu nunca perdi por esperar no Senhor e o próprio Deus quer que dependamos dEle.

20 de Janeiro de 2012 – Santa Cruz de la Sierra

VIAGEM AO PARAGUAI

Saímos dia 12 de dezembro de Santa Cruz de la Sierra com o destino a cidade de Pedro Juan Caballero – Paraguai. Estávamos indo para rever nossos familiares, mas tinha em meu coração  o objetivo de passar os últimos dias do ano de 2011 pregando nas ruas da fronteira. Glorifico ao Senhor porque ele nos deu essa oportunidade.

A irmã Belle Fujita com seus filhos resolveram ir a Pedro Juan e nos ajudar. Foi uma benção, pois são pessoas de muito ânimo ao evangelismo. Vieram do Japão a Bolívia, agora queriam pregar pelo Paraguai, visitar São Paulo e, depois voltar ao Japão.

Eu também queria fazer exame de vista. Estava com fortes dores de cabeça e havia momentos que não podia nem abrir os olhos, pois a dor era intensa. Buscamos uma clínica para fazer o exame e o resultado era que deveria usar óculos. Além da questão dos graus também deveria usar o lente que escurece, pois a pupila demora a retrair e etc..etc..etc. Final de tudo, minha conta ficou mais de R$ 600,00. Não estávamos com recurso, mas o que facilitou foi que tivemos condições de parcelar no cartão de crédito.

Mas, fui orar ao Senhor. Não queria voltar a Bolívia com contas a pagar. Realmente não gosto de fazer contas. Tudo no Brasil é parcelado, mas na Bolívia tem que ser avista. Prefiro juntar cada grãozinho e pagar avista que está parcelando tudo. Bem, cada um tem seu sistema. Mas, pedi misericórdia ao Senhor e que nos ajudasse naquela situação.

Eu havia pregado na Iglesia Congregacional Pentecostal Siloé e também neste dia visitava o irmão Luciano. Este é um fazendeiro, cunhado do meu irmão Tiago Edson e que passava as férias na fronteira. Luciano e sua esposa Cristiane estiveram no culto e nos escutou falar de missões. No outro dia, o irmão Luciano nos buscou e disse que queria entregar uma benção. Ele estendeu a mão e meu deu várias notas em real. Eu não vi, mas agradeci, coloquei no bolso e orei por ele. Quando ele foi embora eu fui olhar o quanto havia ofertado e tínhamos R$1000 reais.

Fiquei olhando para aquele dinheiro e sabe o que havia em meu coração? Temor!! No domingo eu havia falado sobre a corrupção no coração de pastores e missionários. Deus havia me dado uma revelação que até já escrevi aqui no blog, mas, olhando aquele dinheiro o Senhor me dizia: “Sou Eu que supro as tuas necessidades, mas teme, porque EU cobro!!!”

Louvei ao Senhor pela provisão. Deus estava provendo mais uma vez, mas ao mesmo tempo dizendo ao meu coração: CUIDADO !!!

Postamos também em nosso blog esta revelação. Para ler é só clicar no link  –  CLIQUE AQUI

Três toneladas na casa do meu tio Adauto, Corumbá, MS, esperando o momento de ingressar a Bolívia. Somos grato ao apoio dos meus tios Adauto e Carla no serviço missionário.

Xx de fevereiro de 2012  – Santa Cruz de la Sierra

Estávamos ainda no Brasil quando recebi uma mensagem por e-mail que havíamos recebido 4 toneladas de material para o evangelismo. Eu havia feito um projeto de distribuição de Evangelho de São João em lugares de muita necessidade em 2010 para a missão irlandesa Associação do Movimento do Avivamento e depois de mais de um ano recebemos resposta.

Mas o material deveria passar por uma agencia missionária no Brasil. O diretor me diz que as quatro toneladas estava a nossa disposição e começamos a correr atrás de caminhão e dinheiro para pagar o frete. Os preços variavam de R$3000 reais a R$ 4500 reais para trazer de São Paulo a fronteira. Não achava frete mais barato e ninguém para nos ajudar com o dinheiro.

Recebemos a notícia da cidade de Pedro Juan Caballero – Paraguai que um irmão levaria uma mudança para São Paulo e faria o frete de volta por R$ 2500 reais. Sendo que o frete seria para final de fevereiro. Eu comuniquei o diretor da agencia missionário e disse que já tínhamos um caminhão para trazer o material, mas o diretor me apressava para retirar o mais rápido possível o material do deposito, porque, segundo ele, outros materiais estavam vindo e eles não tinham espaço.

Falei com meu tio que é diretor da Missão Filadelfia em São Paulo. Queria saber da possibilidade de levar o material para o deposito da Missão Filadelfia. Mas notícia que recebi foi que a agencia missionária estava destinando o material para outra região por não ter o recurso para enviar a Bolívia. Agora só havia duas toneladas no depósito em São Paulo.

Nós fomos para a oração. Também escrevemos para muita gente pedindo oração, porque muito queríamos este material. Esperávamos há muito tempo e agora terminar assim, realmente nada dava. Também fiz várias ligações, escrevi vários e-mails para a Secretaria Geral na Irlanda, mas nada. Eu estava realmente abatido com tudo aquilo.

Sem mais e sem menos recebi um email de São Paulo. Era o diretor da Missão Filadelfia. Disse que havia enviado à fronteira 3 toneladas. Até hoje não sei como resolveram, mas sei que o Dr. Gamelim fez o grande esforço de enviar todo o material para o trabalho na Bolívia pagando o frete.

Sabe qual o resumo de tudo? Mais uma vez eu vi Deus agindo para que o trabalho evangelístico siga adiante. Glória a Deus!!!!

Que o SENHOR Jesus abençoe cada vez mais a vida e o ministério do meu tio, o Dr Francisco Gamelim.

18 de junho de 2012  –  Santa Cruz de la Sierra

Estive orando ao Senhor apresentando as necessidades. Este ano nosso recurso tem sido reduzido. Entrei em contato com muitas igrejas para ajudar o projeto, mas cada dia vemos as portas se fechando. Minha oração era: SENHOR, ABRE CORAÇÕES PARA APOIAR O TRABALHO!!!!

Entrei no um quarto e fui orar. Eu estava realmente muito angustiado. Não tinha dinheiro para fazer as viagens e ir aos lugares que precisávamos realizar os trabalhos de impacto. Eu havia recebido mensagens de uns irmãos que fazem o evangelismo necessitando de material. Muitos não tem dinheiro para pagar o frete e nós mesmo temos que pagar. Eles estavam indo às províncias pregar com seus megafones, mas sem material para fazer a distribuição. Glória a Deus que esses homens não param, mas é nossa visão colocar os materiais nas mãos desses homens para que alcancem o povo com a Palavra Escrita.

Enquanto orava o Senhor falou fortemente ao meu coração: CONFIA EM MIM! A paz inundou meu coração. Fui verificar minha conta bancária e havia uma oferta de R$20, Reais. Fiquei muito alegre. Enquanto eu orava Deus moveu o coração de um servo para depositar R$ 20,00 reais em minha conta. Sei que esses R$20,00 não dá pra muita coisa, mas vi o mover de Deus naquele momento. Posteriormente voltei olhar minha conta e tinha outro deposito: R$100,00 reaisl. Glória a Deus!

Fiquei andando dentro de casa e olhando para os materiais. Pensava nos irmãos que necessitavam do material para o evangelismo. Pensava no povo que deve ser alcançado. Deus estava agindo ao nosso favor. Glorificava ao Senhor, pois Deus pela causa de salvação enviou seu Filho Jesus a este mundo. Os homens pensam em si, nas suas vidas, seus interesses, mas Deus está interessado na salvação. Levar o evangelho é levar a Palavra de Salvação ao povo. Meu coração ardia e naquele momento estava vendo Deus agir por nós.

Voltei a internet e quando novamente abri minha conta havia um deposito de R$ 500,00 reais. Desta vez tinha nome. Era uma irmã da cidade de Brasília chamada Zenilda. Ela sempre nos enviava uma oferta, mas já fazia um bom tempo que não enviava sua oferta ao trabalho.

Pastor Peniel, Mina e Deborah

Mandei um e-mail para irmã Zenilda agradecendo e contando sobre a provisão. Ela me respondeu dizendo que estava com umas ofertas acumuladas e que deu pra depositar agora.

DEUS É FIEL!!!!

Nossa vida está nas mãos do Senhor. Deus nos enviou a Bolívia quando nós mesmo nem pensávamos nesta nação.  O projeto é dEle e é ELE mesmo que nos guia e sustenta. O que seria de nossas vidas sem a poderosa mão do SENHOR sobre nós? Temos visto muitas outras situações que não inserimos neste poste. Os homens podem desprezar a Obra Missionária, mas este trabalho é do Senhor. Os homens esquecem do nosso nome em suas listas de ajuda, mas Aquele que rege todas as coisas é Fiel! 

Nosso alvo não é realizar grandes atividades e registrar nossos nomes em placas de ferro. Tão somente queremos fazer a vontade dAquele que nos alistou.

Pastor Peniel Nogueira Dourado

Ninguém que milita se embaraça com negócios desta vida, a fim de agradar àquele que o alistou para a guerra. E, se alguém também milita, não é coroado se não militar legitimamente.
(2 Timóteo 2:4-5)

Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê
(Romanos 1:16)

VIDEO  –  DIOS ES NUESTRA FUENTE

 

DEIXE SEU RECADO DIZENDO O QUE ACHOU DESTE POST   –  clique aqui

Categorias: Testemunhos | 5 Comentários

QUE MENSAGEM DARÍAS A ESTA GENTE?

Pastor Peniel pregando na feira Cumavi

Quero compartilhar um sonho que tive mais ou menos no começo do ano de 2008. Nesta época eu ainda não trabalhava com megafone, mas eu e Mina estávamos orando muito ao Senhor em busca de uma direção sobre o trabalho missionário aqui em Bolívia. Tínhamos a certeza que Deus havia trazido, mas não tínhamos dinheiro para quase nada e nem sabíamos o que fazer. Nesta época aprendemos muito o que é orar e esperar.

Durante este período difícil de oração e espera o Senhor Jesus me deu uma visão. Falo visão porque não foi um sonho desses que agente come muito e sonha, ou quando falamos muito em algo e acabamos sonhando a noite. Sonhei com um homem pregando com um megafone. Bem, eu comecei a trabalhar com megafone em 2010 e em 2008 nem pensava em fazer esse tipo de trabalho. Mas em meu sonho eu vi um homem com um megafone na mão. Era um megafone pequeno. Busquei um foto na internet de um homem com megafone e encontrei mais ou menos um parecido. Seria como o da foto ao lado.

Bem, o homem pregava a Palavra de Deus. Mas na realidade ele estava divertindo o povo. Falava coisas bonitas e engraçadas. Era nítido a preocupação daquele homem que o povo mantivesse os olhares nele. Mas quando olhei para o povo vi que estava sentado em uma grande arquibancada. Na realidade, parecia mais uma grande montanha, sendo que de um lado era uma enorme arquibancada como de um estádio. Eram milhares de pessoas sentadas, todas acomodadas e olhavam para frente. Muitas das pessoas escutavam o pregador, riam e estavam bem atentas.

Subitamente percebi que a arquibancada começou a deslizar. No meio não se notava, mas lá em baixo as pedras subiam sobre as outras, havia pó…. parecia a nuvem de poeira quando as torres gêmeas dos Estados Unidos  vieram a baixo. Observei famílias inteiras sendo tragadas por aquele revoltar de pedras. Quando as pessoas percebiam era tarde demais.

Olhei para pregador e ele continuava com sua mensagem que, agora, parecia sem sentido. No sonho eu ficava desesperado. Gritei ao pregador para avisar o povo, mas ele estava mais preocupado em chamar a atenção, falar de coisas boas e seguir prendendo a atenção do maior número de pessoas. Eu corri e agarrei o megafone dele para avisar o povo da morte que os esperava lá em baixo. Naquele instante escutei uma voz: “PENIEL, QUE MENSAGEM VOCÊ DARÍA A ESTA GENTE?”

Lembro-me de ter acordado e o que parecia era que seguia escutando esta voz como que ecoando dentro do meu quarto. Atualmente além de levar ao povo milhares de folhetos, livretos evangelísticos nós também usamos megafones para pregar. Estamos onde o povo está e muitas vezes o Senhor Jesus me faz lembrar desse sonho. Muitas vezes caminhamos entre a multidão, não vejo arquibancada, mas sei que existe uma Morte Eterna esperando e o Espírito Santo sempre me faz lembrar  –   “QUE MENSAGEM DARÍAS A ESTA GENTE?”

Amado, o nosso trabalho é mostrar o único Caminho para a salvação e este Caminha se chama Jesus Cristo. Jesus breve vem e milhares não conhecem Jesus Cristo como seu salvador. Não podemos cair no erro de crer que nós convenceremos as pessoas, pois este trabalho pertence ao Espírito Santo de Deus ( João 16:8). É nosso dever levar o Evangelho. Jesus disse: “Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura.”  (Marcos 16:15). Não se prenda aos chamados “resultados”, pois o maior resultado que a Igreja de Cristo poder ter é de cumprir sua missão de colocar o evangelho no coração do pecador. Se fizermos nossa parte creio de todo o meu coração que o Espírito

Ilírico a Jerusalem
(Clicar duas vezes para ampliar)

Santo de Deus é suficientemente capaz de fazer Sua parte – ELE É DEUS!!!  “De maneira que desde Jerusalém, e arredores, até ao Ilírico, tenho pregado o evangelho de Jesus Cristo.” (Romanos 15:19).  Você já procurou ver em um mapa o tamanho da região que o Apóstolo Paulo percorreu em sua época sem carro, sem trem, sem avião e sem nenhum dos meios de transporte atuais que temos? Ao lado deixo um mapa para que o irmão (ã) possa conhecer. Acredito que Paulo teve um tremendo resultado porque cumpriu sua missão e o Espírito Santo fez sua parte.

Termino com o texto de Romanos 1:16 no qual muito medito e deixo inundar meu coração impulsionando-me a levar o evangelho. “Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê; primeiro do judeu, e também do grego. Porque nele se descobre a justiça de Deus de fé em fé, como está escrito: Mas o justo viverá

Pastor Peniel, Mina e Deborah

da fé.”  (Romanos 1:16-17) Não importa o método que você vai usar para levar o evangelho, pois o poder não está no método que você usa, mas no Evangelho!!

Categorias: Testemunhos | Tags: | 6 Comentários

Material vindo a Bolívia – agradecimentos

Estamos realmente contentes pelo o que Deus está fazendo ao nosso favor. Bem, posso dizer aos irmãos que o material pelo qual estávamos lutando já esta a caminho da cidade de Corumbá – MS, fronteira com Bolívia. O material chegará acreditamos que próxima semana e estará em Corumbá até tomarmos um fôlego nessa correria toda e começarmos a segunda etapa que é  passar a fronteira e chegar até o destino que é nossa Base de Apoio aqui em Santa Cruz de la Sierra – Bolívia.

Ficamos de receber 4 toneladas da Agencia Missionária que está em São Paulo, mas infelizmente só receberemos 2 toneladas por um imprevisto ocorrido. Mas em tudo glorificamos ao Senhor.

Também desejo comunicar que o diácono Fabio Benites da cidade de Campo Grande o qual está fazendo um maravilhoso trabalho de evangelismo já recebeu 1 tonelada, graças a força do Dr. Francisco Gamelim diretor da Missão Filadelfia.  Também os irmãos da Gospel Sunrise ( clique aqui )  já se prontificou em enviar materiais e também a W. M. Press estará enviando um pequeno porte, mas será de grande ajuda. Posteriormente estaremos escrevendo mais sobre esse belo trabalho em Campo Grande.

Nós também estaremos enviando pelo menos 1 tonelada do material que vem às nossas mãos  ao trabalho do evangelista Davi Dayan com o qual falamos hoje e já estará providenciando um veículo para buscar o material na cidade de Corumbá. O material da Revival Moviment Association já está na cidade de Corumbá, são 1 tonelada de puro material evangelístico. Também em apoio ao projeto do evangelista Davi Dayan no Paraguai a Gospel Sunrise, através de seu diretor Raymund Brunk,  ficou animada em traduzir uns dos materiais que eles fazem a impressão para a língua guaraní. Davi Dayan já tem uma professora de guaraní que estará fazendo este trabalho.

Amados, este é o verdadeiro avivamento, quando a igreja se levanta a levar a Palavra de Deus aos perdidos. Louvamos a Deus por todas essas bênçãos e agradecemos a cada irmão participante neste trabalho.

Quero deixar meu agradecimento em espacial  ao Dr. Francisco Gamelim que usando de seu próprio recurso investiu fortemente no Reino de Deus fazendo possível, diante da urgência que tínhamos,  a chegada desse material ao destino. Também queremos dizer que neste trabalho  não somente nós fazemos por estarmos no Campo propriamente dito, mas existe a vossa participação e tudo está diante do Senhor o qual recompensará a Seu tempo. Mas uma vez, muito obrigado Dr. Gamelim e familia.

Estendo meu agradecimento aos irmãos que foram e que são participantes neste alvo e necessidade e fizeram presente através de suas contribuições.  Irmãos que estão de uma forma contínua ofertando e orando por este trabalho e com certeza não teríamos condições de estarmos aqui sem a vossa presença neste serviço missionário evangelístico. Eu creio nisso e assim o Senhor o faz  –  Vocês são presente e atuantes nesta grande Obra através de vossas ofertas, dinheiro adquirido com suor e investido no serviço missionário. Como nós, de igual forma, Deus vos recompensará.

DEIXE SEU COMENTÁRIO   –  clique aqui

Obs.: Irmão, divulgue este trabalho através do Facebook e Orkut. Os links para curtir estão abaixo. Muito obrigado.

Categorias: Informativo Missionário, Testemunhos | 9 Comentários

Visão moldada pelo Senhor

Estamos aqui na Bolívia já faz alguns anos. Quando recém chegamos aqui, meu esposo tinha conseguido algumas caixas de folheto e começamos a evangelizar. Com o passar do tempo, Deus tem aberto inúmeras portas para continuarmos realizando o evangelismo com folheto. Aqui na Bolívia tem muitos lugares que vendem roupas, comidas, tudo isso na rua e são chamadas de feiras.  Feira Cumavi (roupa usada),  nova feira, e outros lugares. Pessoas de diversos lugares vão ali. Como no supermercado é mais caro, alguns preferem fazer compras de verduras, carne e demais coisas ali.

Íamos evangelizar com o desejo de ganhar almas e queríamos ver logo isso(…rs..) Tivemos contato com alguns, mas muitos não queriam compromisso. Antes de ganharmos a Bolivia para Cristo, primeiramente, Deus tem trabalhado conosco.

Primeiramente com o meu esposo e depois comigo. Eu queria ver logo o resultado, mas para o desanimo não me abater sempre buscava força em Deus.

Me agarrei na promessa de Mateus 28:20 “ eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém.”

Sem a ajuda de Deus, o que seria de nós?!. Deus tem nos mandado pra cá, disso temos plena certeza e Ele está conosco.

Sempre acompanho meu esposo nos trabalhos. Visita, evangelismo, etc. Participo nos trabalhos e procuro ter o mesmo animo que ele. Desde que me casei, dizia ao Senhor:  “Não quero viver na sombra de meu esposo, quero ter uma vida Contigo e não ficar atrás dele e sim ao lado colaborando, talvez eu não faça a mesma coisa que meu esposo faz, mas quero ter a mesma visão. ”

Mas com o passar do tempo, minhas forças iam diminuindo… Um dia, evangelizando na feira, vi meu esposo entregando  folheto para as pessoas e veio uma inquietação no meu coração. Disse ao Senhor em espírito : “Senhor, Peniel pregava tanto na igreja, tínhamos programa de radio no Paraguay e era uma benção, e agora estamos aqui entregando folheto? ”

Me sentia como se estivesse regredindo, ao em vez de avançar,  andar para trás.. Tinha em meu coração como se eu estivesse certa…

Animei meu esposo em fazermos trabalho de televisão ou radio, mas as portas não tem se aberto. Já ouvi vários testemunhos de salvação, através de um folheto, mas eu achava que era exceção. Tinhamos muito desejo de fazermos cruzada na rua, mas ate mesmo isso Deus tem fechado as portas.

O cunhado do meu esposo tem vindo algumas vezes nos ajudar, ele é muito animado com esse trabalho de evangelismo com folheto.  Ele tem animado muito meu esposo. Quando os dois carimbavam folhetos diziam que sentiam como se estivesse pregando para multidões.

Um dia entrei em meu quarto, com o coração angustiado e de joelhos disse ao Senhor:  “Senhor se estou errada, me mostre a tua vontade. Não consigo ter esse mesmo animo que o Peniel tem, não quero ficar para traz, quero seguir essa caminhada juntos, com a mesma visão.”

Deus me faz ler Romanos 1:16 “ Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê”

Tinha lido inúmeras vezes esse versículo, mas aquele dia foi diferente, era como se alguém acendesse a lâmpada para eu enxergar.  Entendi perfeitamente o recado do Senhor para mim. Como é maravilhoso saber que sirvo a um Deus vivo e que responde nossas perguntas. Deus me dizia fortemente ao meu coração que o evangelho tem PODER, seja pregado pela radio, televisão,  mensagens por celular , folheto, etc.  É o evangelho que transforma as vidas.

Eu me prendia em métodos, de como alcançar as pessoas, métodos que tinham em minha mente, existem métodos muito bom, mas o importante é fazer a vontade do Senhor. Comecei a valorizar o trabalho de evangelismo com folhetos. Tenho lançado a semente, crendo que a palavra não volta vazia.

Estive lendo um livro, acerca de como o Espirito Santo trabalha nas vidas e fiquei impactada com um testemunho. Certo irmão foi entregar um folheto para um senhor dizendo: “Leia o que está escrito neste folheto e sua vida será transformada”

O senhor olhou bem pra cara dele e disse: “Eu não preciso disso!!! ” e rasgou na frente dele, colocou no bolso e foi embora…

Quando esse senhor chegou na casa dele, ficou incomodado do por que  o rapaz que entregou o folheto não disse nada,  se sentiu mal pelo que fez, pegou os pedaços que rasgou e começou a colar. Ao ler mais tarde, sua vida realmente foi transformada!!!  Gloria a Deus.  É o Espirito Santo quem faz a obra, tenho descansado NELE.  Nosso trabalho sem o operar do Espirito Santo, seria em vão.

Tínhamos um desejo muito forte de fazermos cruzada, com um grupo de louvor, caixa de som e tal. Mas Deus tem aberto outra porta. Conhecemos um irmão que usa megafone, e conseguimos facilmente um, assim começamos a usar também o megafone.  Tem sido bom porque é fácil de carregar e tem entrada pra colocar hinos.

Meu esposo sempre me dizia: “Podemos pregar todos os dias com o megafone, mas cruzada seria algumas vezes no ano.”

Não tem coisa melhor que fazermos a vontade do Senhor.  Conhecemos irmãos que fazem outro tipo de trabalho e Deus tem abençoado eles. Evangelistas que fazem cruzadas e Deus abre as portas, pois é o que Deus quer que eles façam. Estamos continuando o evangelismo com folhetos e megafone, ate onde Deus mandar fazer. E tem sido uma benção, muitos irmãos tem se levantado a fazer também.  Se aumentar o grupo, o alcance é maior e o numero de salvação de almas aumenta. E o numero de pessoas pro inferno diminui !!! Aleluia !!!

Senhora boliviana e Mina

Para um missionário é muito importante ter comunhão com Deus.  Se não ouvirmos a voz de Deus, vamos começar a ouvir a voz do inimigo e o que o inimigo quer é calar nossa boca, para não pregarmos e assim almas não serem salvas. E vai começando aos poucos, tribulação daqui, dali e se ainda assim não desanimar-nos, ataca nossa mente. Mas louvado seja o Senhor que nos alerta através do Espirito Santo.

Deixo um versículo:

Romanos 8:26. “E da mesma maneira também o Espírito ajuda as nossas fraquezas; porque não sabemos o que havemos de pedir como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós com gemidos inexprimíveis. “

Mina Ashizawa Dourado

Categorias: Devocional Missionária Mina, Testemunhos | Tags: , , , | 4 Comentários

Testemunhos sobre finança no trabalho missionário II

Pastor Peniel e Mina – 2006 região de Roboré – Bolívia

No poste anterior colocamos alguns testemunhos sobre finança no campo missionário – nossas experiências propriamente dita. Nem todos os testemunhos estão em ordem. Creio que deveria ter colocado, mas não fiz. Mas o que verdadeiramente importa é que seguimos no mesmo propósito de dizer que felizes são aqueles que confiam no Senhor. O desejo ardente do meu coração é seguir neste alvo.

06 setembro de 2006  –  Puerto Suarez

(resumo)

Queria muito comprar algumas cadeiras para as reuniões. Três dias atrás fizemos nossa primeira Santa Ceia aqui em Bolívia. Tínhamos apenas duas cadeiras, uma para mim e outra para Mina. Usamos de mesa uma caixa de isopor que era nossa geladeira provisória. Ficamos vários dias sem geladeira e não era fácil todos os dias comprar gelo para manter nossa pequena caixa de isopor . Mas agora a caixa de isopor é nossa mesa para a Santa Ceia. Sobre nossa mesa improvisada coloquei os dois copos, esses de extrato de tomate. Dentro de uma bandeja coloquei duas rodelas de pão. As duas cadeiras ao redor da caixa de isopor, os dois cálices ( copo que vem os extratos de tomate) e as duas rodelas de pão. Mina olhou e começou a ri daquela Santa Ceia um tanto não convencional. É, não é fácil. Domingo, dia 03 de setembro  nossa igreja no Paraguai reúne-se quase duzentas pessoas. Aqui mesmo as igrejas tão cheias e nós aqui com apenas dois participantes.

Escutei de outros missionária que a falta maior não é da família no campo missionário, pois se você é casado sua família no campo te completa e os parentes tem seu lugar, mas o missionário sofre muito pela ausência da igreja. Aprendi que você deve ter sua vida familiar estando no campo ou não. Casou, deve viver a vida com marido, esposa e filhos. Não estou falando de isolar os demais parentes, nada disso, mas buscar completar-se com a família que você está estruturando e é responsável. Acredito ser a coisa mais ridícula um missionário (a) casado (a) abandonar o campo com saudade do papai ou da mamãe.

Mas, ali nós éramos a igreja. Eu e Mina, a igreja de Cristo. Propusemos assumir o trabalho em todas as formas e tragar todas as copas amargas que oferecia. E vou dizer uma coisa: Fazer uma Santa Ceia para dois não é nada gostoso, pois sempre pensamos na “casa cheia” o grande dia de Santa Ceia em nossa igrejas, mas no nosso caso era eu e Mina. Decidimos fazer nossas reuniões e não chamar ninguém de outra igreja. Ao encontrar algum irmão não fazíamos convites para nossas reuniões de oração. Decidimos não visitar nenhuma igreja se não fossemos chamados. E diante de um convite nunca desmarcar a importante reunião de nossa pequena igreja ( eu e Mina ) para atender um convite de outra igreja, nem que me esperasse mil membros.

Eu e Mina tomamos a decisão de beber do cálice amargo que o campo missionário oferecia. Eu vi muitos missionários chegarem querendo abrir uma igreja e não querer beber desse cálice. O primeiro passo que tomam é visitar igrejas, fazer reuniões com membros de outros igrejas e etc. Depois de ganhar confiança sair convidando. E vou falar uma coisa, tivemos até instrução de “pastores experientes” a fazer isso mesmo. Que ridículo! Mas o Senhor dará a cada um segunda as suas obras.

Mas, tivemos o grande desejo de comprar mais cadeiras, mesmo que sabemos que não vamos ficar aqui em Puerto Suarez. Eu não tinha dinheiro para comprar e novamente nós nos entregamos a oração por cadeiras. Dias depois fomos  à internet e recebemos uma oferta para comprar uma 30 cadeiras. Glória a Deus! Nós glorificamos ao Senhor porque vemos a mão dEle em todas as coisas.

24 de janeiro de 2007  –  Pedro Juan Caballero – Paraguay

Nasce nossa filha DEBORAH YUIKO ASHIZAWA NOGUEIRA. Meus pais e minha sogra ficaram preocupados por ser nossa primeira

Deborah em seus primeiros momentos

filha e resolveram nos buscar. A principio não queria ir e estávamos nos acostumando com a ideia de ser boliviana, mas consideramos a situação, o fato de sermos marinheiros de primeira viagem, a preocupação dos nossos parentes e etc. Bem, dia 15 de janeiro meu pai fez uma viagem de 700 quilômetros de Pedro Juan Caballero até Puerto Suarez onde morávamos.

Havia preocupação em relação a pagar o parto, pois no Paraguai tudo é pago. Eu tinha que pagar hospital e outros gastos mais. Eu havia reservado um dinheiro, mas também era o dinheiro do nosso aluguel e gastos por uns três meses na Bolívia. Mas, fazer o que? Deborah nasceu, peguei tudo o que tinha e dei na secretaria do hospital San Lucas em Pedro Juan Caballero. Eu havia gastado com hospital e outros gastos mais, mais ou menos uns R$ 1300 Reais. Na tarde que tínhamos que sair do hospital veio um irmão e nos deu R$50 reais. Outro nos deu 150 reais. Meu cunhado me deu um fardo tão grande de fraudas que achei ser exagero, mas ele disse que sabia bem o que estava me dando, pois o filho dele havia nascido a pouco tempo. E seguimos recebendo ofertas e eu só coloca em meu bolso. Nem olhava para direito para o dinheiro que recebia. Bem, quando chegamos em casa fui ver quanto havia recebido. Eu tinha R$ 1300 reais!!!! Deus me deu novamente a mesma quantia que havia gastado. Glória a Deus!

Diante de nós estava o desafio de ir a Bolívia com tão pouco recurso, sem apoio, sem uma garantia, mas situações como esta nos fortalece, nos impulsiona com nos lançar e confiar no Senhor.

06 de maio de 2007  –  Santa Cruz de la Sierra

Pastor Peniel, Mina e Deborah no trem indo de Puerto Suarez a Santa Cruz de la Sierra – 16 horas de viagem

No dia 27 de abril de 2007 embarcamos no trem em direção a Santa Cruz de la Sierra. Deixamos para trás a cidade de Puerto Suarez onde ficamos por oito meses. Nós estivemos sete meses orando por uma casa em Santa Cruz de la Sierra. Assim como Deus nos deu a casa de Puerto Suarez também clamamos ao Senhor por uma casa em Santa Cruz.

Quando senti que deveria ir a Santa Cruz de la Sierra deixei Mina com Deborah em Puerto Suarez e fui a Santa Cruz em busca de uma casa. Não era fácil andar na cidade sem ter ninguém para ajudar. Errava os ônibus urbanos, não entendia o formato da cidade que é em forma circular, e isso passei muito tempo sem entender. Andando perto de um mercado que está no 3º anel, o mercado Mutualista, vi muitas casas para vender. Peguei o número de várias casas e explicava minha situação. Que ao menos alugasse a casa por três meses até conseguir outra. Bem, em meio as ligações conhecer um senhor que se dizia cristão, membro de uma igreja evangélica chamada Maranata. Ele me disse que a casa estava em venda e que só ia entregar a casa três meses depois e que tranquilamente me alugaria. Ele se mostrava alegre e dizia que estava feliz por ajudar um missionário e que também eu estaria ajudando ele.

Diante de tamanha alegria eu fiquei convicto que realmente era aquela casa. Perguntei se ele queria o dinheiro, mas ele me disse pra pagar quando chegasse com a mudança. Desta forma, voltei para Puerto Suarez, coloquei tudo que tinha em caixas, entreguei a casa em que morávamos e viemos para Santa Cruz de la Sierra. Chegamos no conhecido Bimodal de Santa Cruz de la Sierra, terminal de trem e de ônibus, exaustos da viagem. Mina estava com Deborah no colo com apenas  três meses e três dias. Queria muito chegar em nossa casa, montar nossa cama e dormir, mas quando liguei para o proprietário pedindo a chave ele me disse que não ia mais me entregar a casa porque resolveu fazer negócio com ela. A casa não tinha documento, mas alguem resolveu comprar assim mesmo. Eu fiquei sem saber o que fazer. Olhava para Mina, Deborah e, o que fazer? Não tínhamos conhecidos em Santa Cruz. Olhava para a multidão andando de um lado para outro e só vinha a pergunta: O que fazer?  – “ Meu senhor, não seja irresponsável. Estou com minha filha de três meses e toda minha mudança no três, não faça isso!.” A resposta que tive daquele suposto cristão foi: “No me conviene.” ( Não me convem )

Aquilo parecia um pesadelo. Buscamos um banco, sentamos e tentamos ver o que fazer. Lembrei do pastor Gesser, um missionário da Igreja Quadrangular que havia conhecido na fronteira quando estávamos na casa do pastor Roberto Peralta. Expliquei minha situação e ele me disse eu poderia ir para sua casa, mas que não havia lugar para minhas coisas, pois a casa era muito apertada.  Bem, essa foi a solução para o momento.

Toda nossa mudança ficou no depósito do trem e isso me deixava preocupado. Na realidade resolvi apagar isso da minha mente e resolver um problema de cada vez. Meu primeiro problema agora era ter uma casa e depois resolveria o segundo problema que era retirar minha mudança. Mina ficava na casa do pastor Gesse enquanto eu buscava casa todo dia. Era uma loucura buscar casa sem conhecer nada. Me perdia pela cidade, errava os ônibus, era uma benção! Além disso,  eu não tinha dinheiro suficiente para alugar uma casa independente. Eu tinha U$ 100 dólares para o aluguel, mas este valor é para um pequeno quarto. Sai várias vezes com o pastor Gesse e ele me mostrou o que eu poderia alugar com 100 dólares. Meu Jesus! Era desastroso. Pelo menos o pastor Gesse era mais realista que eu.

Nossa primeira casa em Santa Cruz de la Sierra

Os dias passaram e buscando no jornal encontrei uma casa pelo jornal. Na realidade não era uma casa, era uma edícula. Pelo menos era numa região central, a duas quadras do 2º anel. Entramos naquele lugar que estava bem sujo, desprotegido e não cabiam nossas coisas. As cadeiras e algumas caixas ficavam do lado de fora e eu orava para não chover e molhar tudo. O banheiro estava tudo entupido, vaso e pia. Quando Mina abriu o chuveiro para colocar água na banheira e dar um banho na Deborah e saiu uma água preta, tinha mais terra que água. Parece exagero, meu querido, mas não é. Acho os canos estavam completamente enferrujados. A única pia para lavar roupa e louça ficava do lado de fora numa situação precária. Bem, este era o lugar que eu podia pagar, mas pelo menos era o nosso lugar.

Perturbados com a situação? Negativo. Não foi fácil, mas havia paz em nosso coração. Deus agia anestesiando nossos nervos e não deixando ver a situação presente como algo desanimador, mas derramava paz em nosso coração. Um dia, indo a um mercado perto de nossa casa Mina me disse que queria uma casa onde nosso quarto fosse em cima e pudéssemos fazer as reuniões em baixo. Eu disse que seria um pouco difícil, pois uma casa assim custa uns 400 dólares e eu só tinha 100 dólares para dar em um aluguel.

Bem, sabendo que não tinha condições de ficar naquela casa começamos a orar pedindo a Deus uma casa onde realmente podíamos morar e fazer o trabalho. Encontrei uma desocupada que estava a venda. Perguntei se não alugava temporalmente, mas a proprietária disse que já estava negociada, mas que tinha outra.  Ela veio onde eu estava e me levou para mostrar. Era uma casa de dois andares, com um quarto em cima e um lugar muito bom para reunirmos em baixo. Do lado, um quintal muito bom com um abacateiro frondoso. Eu fiquei quieto, mas para mim o aluguel seria uns 300 dolares. Eu virei para a proprietária e perguntei o preço. Ele me disse que alugava por 120 dolares.  Eu me controlei, não mostrei interesse, olhei para as paredes que precisavam ser pintadas e disse: Mas, é preciso pagar a garantia? A mulher me disse que não. Era só pagar os 120 dolares e entrar. Fechei negocio na hora!!!

Já havia pagado o aluguel da outra casa. Gastei 100 dólares para entrar naqueles dois quartinhos sujos e sem condições de uso.  [Coloquei uma foto acima e até parece em bom estado..rs..] Mas você acha que vou reclamar? Eu não!! E nem perdi tempo em ir atrás porque sabia que não iam me devolver.

Base de Apoio em Santa Cruz de la Sierra – Bolívia

Uma vez dentro da casa nova nós agradecemos ao Senhor. Lembramos de um detalhe muito especial A proprietária nos disse que a casa estava sete meses fechada e que ele não conseguia alugar. E nós estávamos com sete meses orando por uma  casa. Bem, passamos pelas lutas, mas a nossa casa estava guardada pelo Senhor. Gloria a Deus!!!!

Dezembro de 2008  –  Santa Cruz de la Sierra

(resumo)

No dia 24 de dezembro passou algo muito interessante. Meu cunhado Ebenezer e minha irmã Rebeca vieram para nos ajudar por alguns dias no trabalho. Trouxeram o irmão Marcos da cidade de Pedro Juan Caballero. No dia 24 nós não tínhamos dinheiro para comprar nem um quilo de arroz. Marcos que cozinha muito bem foi até nossa cozinha olha o que poderia fazer e, realmente, não tínhamos nada.

Na realidade, havia um pouco de arroz, umas batatas, mas comer arroz com batata na véspera de natal é complicado. Longe de mim reclamar do arrozinho com batata e sabendo da perícia do irmão Marcos na cozinha até penso que ele faria proezas com aquele arroz e batata. Mas,  eu estava para receber algum dinheiro naqueles dias, Ebenezer também, mas a questão é que precisávamos para aquele dia, para aquele momento e não tínhamos. Contas de bancos foram revisadas, e-mails na esperança de alguém na última hora enviar alguma ajuda, bolsos foram revistados, mas nada.

Aprendi na prática o que havia ouvido algumas vezes por outros missionários, que o final de ano é o tempo mais difícil para missionário. Todo mundo pensa em gastar, vestir-se muito bem, comer do melhor e quase ninguém pensa em enviar aquela oferta missionária. A mais dura realidade é que aqueles que nos ajudam periodicamente justo nesta época resolve falhar. Afinal de contas, fim de ano sempre vem com muito gastos. Mas tudo bem. Agradeço a Deus por aqueles que o Senhor tem colocado em nosso caminho e tem tomado esta Obra como sua.

Mas, no memento nós ríamos da situação. Ninguém estava triste, de forma alguma. Sentamos nas cadeiras e ficamos pensando no que fazer. A ideia era sair ao evangelismo e a noite fazer aquele prato de arroz com batata. (…rs…)

Ainda estávamos pensando como seria nossa janta para o dia 24 de dezembro quando alguém bateu em nossa porta. Um irmão que trabalha numa fábrica de abater frango veio com um frango nas mãos. O irmão entregou, nós agradecemos e ele foi embora. Ficamos olhando para aquele frango e realmente não pensei que ia valorizar tanto um frango assim. Era um Big frango!!

Mais tarde o irmão Marvin ligou e perguntou se podia jantar conosco. Bem, a noite ele trouxe alguns complementos, refrigerante e nossa janta do dia 24 de dezembro foi bem completa. Marcos fez aquele franco com batata… e arroz. Nós mais uma vez agradecemos a Deus pela provisão.

Parece tão simples, em tudo vemos a mãos do Senhor agindo ao nosso favor. Glória a Deus!!!

01 janeiro de 2009  –  Santa Cruz de la Sierra

(resumo)

Estava chegando a noite e fui olhar se havia leite para Deborah. Quando abri a lata vi que não tinha mais nada de leite. O pior que não tinha mais nada de dinheiro e nem tinha previsão de receber de lugar algum. Fiquei olhando para aquela lada e eu disse ao Senhor naquele momento  que a provisão já havia sido enviada, eu sabia que já, mas quem estava com a provisão estava retendo. Esta foi a confiança que veio ao meu coração. Na realidade, era o Senhor falando ao meu coração.

São situações como esta que abate tua fé. Alguém pode dizer que não, e realmente não é pra abater, mas te abate. Quando Deus faz tanta maravilhas ao seu favor, quando você se move em confiança e um belo dia você se ver sem saída. Antes de vir ao campo missionário muitas vezes em seu trabalho, aquele dinheiro seguro, o emprego e etc, e agora você não tem nada disso e dependo do mover de Deus e chega o momento da necessidade. Voce diz: Deus, socorre-me! Mas, naquele momento você não tem resposta.

Sabe o que sustenta? É você ter a plena confiança que Deus te trouxe a este lugar. É saber que eu estou aqui porque Deus me colocou aqui. É ter a consciência que pela causa de Cristo outros morreram e você agora passa necessidade. Voce pensa em tudo isso e busca força.

É bem fácil escrever depois de uma tormenta. Descrever a tormenta…. mas viver a tormenta e sobreviver para escrever algo depois é que é difícil.  Eu não podia colocar culpa em ninguém. Não podia colocar culta na minha igreja, no pastor, na Secretaria de Missão, em ninguém pelo simples fato de nenhuma dessas ter me enviado a Bolívia. Eu vim aqui porque Deus me trouxe aqui.  Deus disse: VAI!  E eu decidi obedecer. Fiz, faço e vou continuar fazendo a Sua vontade em Nome de Jesus. Sabe, tenho agradecido a Deus por estar nessa situação e não estar jogando culpa de um lado para outro nem sobre ninguém.

Mas, eu saí de casa com Mina pra ver se havia algo na minha conta. Fomos num caixa eletrônico perto de casa e não havia nada. Quando cheguei em nossa casa Mina me disse que andava de cabeça baixa na esperança de achar alguém dinheiro perdido, alguma nota pelo chão. Fiquei olhando e pensando na simplicidade da Mina, pois afinal de contas de algum lugar deveria vir nosso dinheiro, nem que fosse de alguém que o tenha perdido. Creio que isso pode acontecer e já aconteceu comigo,  mas não foi dessa vez.

Fomos a geladeira, havia um pouco de leite. Completamos com água, fervemos e colocamos na mamadeira. Nossa filha tinha um ano e nove meses e ainda tomava aquela mamadeira para dormir. E se não toma começa a chorar até o leite sair de algum lugar. Quem é pai sabe bem o que é isso.

Naquele dia Deborah tomou o último resto de leite que tinha na geladeira. E não era só leita que faltava, mas nós não tínhamos mais nada pra comer. Parece que quando algo falta tudo resolve faltar ao mesmo tempo.  No outro dia eu recebo uma mensagem. Meu irmão Tiago me diz que um determinado irmão de nossa igreja no Paraguai deu uma quantia de oferta para a construção da igreja no Paraguai e meu pai enviaria o dízimo. Na realidade, meu pai já estava com o dinheiro, mas surgiu alguns problemas e não fez o deposito. Eu corri na internet e mandei a mensagem  –  “Avisa para mandar o quanto antes a benção, porque o último ovo nós comemos ontem!”.

Bem, naquele dia retirei de minha conta mais de B$ 2000 Pesos Bolivianos ( aprox. U$ 280 dólares).  Quando volto para casa lembrei do que o Senhor havia falado ao meu coração  –  “Alguém está com o recurso, mas esta retendo”. Essas são as provas que passamos e seguimos glorificando o Senhor.

— de março de 2009  –  Santa Cruz de la Sierra

Desde o começo deste ano tenho estado preocupado com nossas documentações. Precisava no mínimo 1500 dólares para pagar o meu visto e da Mina; o valor do visto, das documentações e das multas. Sabe o que é olhar para a finança e ver que até o pão estamos comendo com dificuldade e ter que conseguir 1500 dólares para dar para Migração? Realmente era desanimador e desesperante a situação.

O antídoto que temei contra o veneno foi inundar meu coração com o fato de que Deus nos trouxe a este lugar. Começava a meditar sobre isso e falava com minha esposa. Pensava no fato de ser pai e nunca deixaria minha filha estar chorando de fome se a hora da comida chegou sem que a desse algo para comer. Realmente, eu nuca faria isso! Alguém seria capaz de fazer isso? Mas, relembrar o que Deus já havia feito, as promessas, as orientações e tudo mais nos dava fortalecimento.

Um dia levantei pela madrugada. Estava muito preocupado. Entreguei minha causa ao Senhor. Repreendi o que impedia a benção.

Meu cunhado Ebenezer e minha irmã Rebeca na Base de Apoio em Santa Cruz de la Sierra

Isso mesmo que comecei a fazer, repreender aquela situação adversa. Veio ao meu coração uma paz muito grande. Um verdadeiro calmante dos céus. Quando foi a internet uma irmã de Brasília me escreve dizendo que havia depositado 500 Reais para me ajudar com o documento.  Depois ela escreve novamente dizendo que sua irmã também mandou 300 Reais.  Outra irmã me escreveu pedindo oração dizendo que se vendesse um terreno me enviaria 1000 Reais de oferta. Bem, eu e Mina começamos a orar e tempos depois estavam os 1000 reais em nossa conta. Meu cunhado, o pastor Ebenezer, passando por uma pequena cidade no Brasil durante uma viagem viu alguns doces. Teve a ideia de comprar e vender para amigos e irmãos da igreja. Ele comprou cada vazo de doce por R$10,00 Reais e vendia a R$30,00 e R$ 40,00 Reais, dependendo do freguês. Claro, o pessoal sabia que era para ajudar a missão. Bem, dias depois Ebenezer estava depositando em minha conta mais de R$1000 Reais para nos ajudar. E seguimos recebendo ofertas. Parentes enviaram ofertas, irmãos enviando quantias diversas. Isso aconteceu tudo em poucos dias e nisso eu vi a mão provedora do Senhor.

No final das contas, recebemos mais que suficiente para pagar o visto. Levei o dinheiro a Migração Boliviana e paguei o visto, e sobrou dinheiro. Claro que o nome sobrar é muito forte, pois na realidade, eu paguei o visto e se eu tivesse recebido apenas o 1500 dólares ficaria sem nada para me manter, mas Deus mandou para o aluguel, a água, a luz, a comida e etc. Deus estava no controle de tudo!

— julho de 2009  –  Santa Cruz de la Sierra

Pastor Peniel e pastor Clebes Sanches em frente a Base de Apoio

No começo deste ano eu estive conversando com Mina sobre trabalharmos com mais força no que é o evangelismo. Temos visto a necessidade e é muito grande. Falei com Mina em trazermos mais materiais em Bolívia para suprir nossos projetos de trabalho e ajudar outros missionários.  Mina estava estendendo as roupas no varal e escutava o que eu dizia. Ela parou e me disse que seria um pouco complicado, pois nós estávamos passando dificuldades financeiras sem nos mover muito, imagino se começasse a trabalhar com literatura. Tudo é dinheiro e não tínhamos de onde tirar. Eu disse que se fosse da vontade do Senhor ele supriria nossa necessidade e enviaria pessoas dentro de nossa casa para manter o trabalho. Parecia algo ousado, mas resolvemos fazer. Pensava no gasto com frete, viagem e, a realidade que tudo é dinheiro, mas olhávamos para o que Deus nos impulsionava e nossa decisão era confiar no Senhor.

Como resposta e sem demorar muito, Deus envia a nossa casa do pastor Clebes, pastor da Assembleia de Deus Missão na cidade de Dourados – MS. Pastor Clebes veio com o pastor Ebenezer, meu cunhado e minha irmã Rebeca que sempre estão nos ajudando aqui em Bolívia. Eles me avisaram que estavam chegando e eu queria ir na ferroviária espera-los, mas realmente não tinha dinheiro. Olhei na geladeira e não tinha nada pra servir no café da manhã. Busquei as moedas para comprar algum pão e nada. Então, fiquei na minha sala pensando nessa situação. Visita chegando em minha casa e eu não tinha nem pra mim, quanto mais para eles. Bateram na porta e era Ebenezer com os demais fazendo a maior bagunça, sempre em ritmo de festa. Entraram, oramos agradecendo a viagem e já falaram no café. Eu não tinha o que dizer e fiquei balbuciando pelos cantos. Ebenezer abriu minha geladeira e disse: Senhor! Isso aqui está parecendo uma piscina  –  só tem água! Então ele virou e me deu uma oferta. Veio o pastor Clebes e me deu mais uma oferta. Bem, tudo chegava aos R$ 500 reais. Glória a Deus! Fomos no mercado, compramos pão, leite e o que era necessário para o café e para o almoço.

Pastor Clebes ficou conosco alguns dias, saiu ao evangelismo, conheceu um pouco da Santa Cruz de la Sierra. Dias antes de sair ele me disse que o Senhor estava incomodando ele já alguns dias para nos ajudar. A partir daquele mês sua igreja seria contribuinte no trabalho que fazemos em Bolívia.

Pastor Clebes voltou ao Brasil e dias depois a irmã Neide veio a nossa casa. Ela trabalhava com uma dentista que é boliviana residente

Irmã Neide, Mina e Deborah

na cidade de Cárceres, MT. A filha da dentista precisou de tratamento e eles vieram a Santa Cruz de la Sierra. A irmã Neide como nos conhecia a muito tempo e sabendo que estávamos aqui hospedou-se em minha casa. De igual forma saiu ao evangelismo conosco, foi até Cochabamba fazer um trabalho nas feiras. Dias antes de sair disse que estaria nos ajudando no trabalho, que podíamos contar com sua oferta mensamente.

Eu lembrei a Mina o que havíamos dito no começo do ano, que Deus enviaria mantenedores para o trabalho aqui mesmo, dentro de nossa casa. E ELE fez! O Senhor é o nosso provedor.

 

QUEREMOS SABER O QUE VOCÊ ACHOU DESTE POST  –  clique aqui

Categorias: Diario Missionário, Testemunhos | 3 Comentários

Testemunhos sobre finança no trabalho missionário

Mina e Deborah – Bandeira de Santa Cruz de la Sierra

 Os testemunhos abaixo estão em meu diário pessoal, costume que iniciei no ano de 2002.  Os testemunhos que inseri são do meu primeiro caderno. Posteriormente vou transcrever os demais testemunhos que estão nos diários mais atuais.  Estes são apenas alguns testemunhos sobre nossa finança no campo missionário. Espero que seja de edificação. Um grande abraco.   –  Pastor Peniel Nogueira Dourado

27 de junho de 2006      Pedro Juan Caballero – Paraguai

Havia posto a data de 24 de março de 2006 para sairmos do Paraguai, cidade de Pedro Juan Caballero, para Quijarro, Bolívia. Meu pai decidiu comprar meu carro e eu tomei a decisão usar o dinheiro no que for necessário para ir a Bolívia. Mas, eu tinha dívidas pendentes e quando ele me deu a primeira parte foi para pagar essas dívidas. Bem, no final de tudo acabamos sem dinheiro novamente. Realmente foi uma prova.

A questão é que da época que o Senhor me falou para ir até concretizar-se foi teve um tempo, tempo em que eu não queria tomar uma decisão concreta. Então todas as portas se fecharam, problemas financeiros e etc. Fiquei sem nenhum recurso e orava até que o Senhor nos disse: “Faz as malas que EU mando o dinheiro”. E começamos a fazer as malas sem dinheiro pra nada.

Bem, levamos nossos dois guarda-roupas para vender para usar o dinheiro para a gasolina. Mas a compradora só tinha a metade do dinheiro. Eu fiz os cálculos e ainda não era suficiente para chegarmos a fronteira. Deus nos mandou a Bolívia e queria ir a Bolívia, ao menos até a fronteira. Depois de tentar várias portas eu me vi andando pelas ruas, no meu carro, que já havia vendido ao meu pai. Andava sem saber mais o que fazer. Veio aquela voz ao meu coração, voz que seu de quem é: “VAI AO BANCO”.  Eu havia recebido umas ofertas de umas igrejas para nos ajudar no serviço missionário no Paraguai, mas já fazia muito tempo que não recebia nada. Quando cheguei havia R$ 130,00 Reais em minha conta. Eu saltei de alegria glorificando ao Senhor. Entrei no carro alegre, glorificando e exaltando o Senhor.  Fiz novamente o cálculo e dava para colocar gasolina e sobrava uns R$ 10,00 Reais para comprar alguma coisa. Eu disse a Mina que íamos comprar um saco de coquito, uma bolacha bem dura vendida no Paraguai e que levaríamos água para comer com a bolacha. Isso não foi brincadeira, nós íamos fazer mesmo. Já estava tudo certo e tudo que nós queríamos fazer era chegar ao menos na fronteira.

Parecia uma grande prova: Deus falando para eu ir a Bolívia e tendo toda essa dificuldade na área financeira. Parecia uma maratona e que o importante era chegar ao alvo. O nosso era chegar ao menos a fronteira com Bolívia. Bem, além de toda dificuldade financeira Mina estava aproximadamente no seu segundo mês de gestação. Mas, sabe, é interessante como não pensávamos nas dificuldades, pois colocávamos os olhos em fazer a vontade do Senhor.

Não vou dizer que não estava preocupado, pois estava bem preocupado. Mas também estava muito feliz, pois mesmo com tão pouco

Peniel e Deborah

recurso já poderíamos chegar a Bolívia. E no mesmo momento que estava a porta do banco Bradesco da cidade de Ponta Porã me alegrando no Senhor meu pai me liga e diz pra eu ir a sua casa. Eu sai correndo pra contar a benção. Sabia que ele ia ficar bem preocupado em saber que eu tinha o dinheiro para gasolina e que praticamente não teria quase nada para viajar. Mas, quando cheguei e contei o que aconteceu meu pai entrou no quarto e veio com um envelope. Dentro havia R$ 450,00 Reais. Ele me disse: Um irmão passou aqui e deixou essa oferta para te ajudar na viagem.

Agora eu tinha mais que suficiente para chegar a fronteira com Bolívia. Com certeza aquele dinheiro não supriria toda minha necessidade, mas recebi mais que dinheiro. Mais uma vez o Senhor me mostrou que é o provedor de todas as coisas.

AGOSTO de 2006  –  Puerto Suarez

Chegamos em Quijarro, cidade fronteiriça da Bolívia. No Brasil, apenas 4 quilômetros temos a cidade de Corumbá. Em Quijarro ficamos na casa do pastor Roberto Peralta da Igreja Quadrandular.  Fomos muito bem recebidos e foi uma grande ajuda encontrar o pastor Roberto e ter todo aquele apoio.

Começamos buscar casa em Quijarro. Fomos de um lado e outro e parecia impossível encontrar uma casa para alugar. Os alugueis caro e as casas não eram boas. Em um determinado momento Mina me diz que Deus tem aberto as portas quando oramos e não tínhamos orado ainda. Alí dentro do carro nós oramos e apresentamos nossa casa. Como já havíamos visto várias casas já ao menos sabíamos o que não queria para nós.

Resolvemos buscar em Puerto Suarez, uma cidade vizinha  a 12 quilômetros da fronteira, porque em Quijarro estava muito difícil. Deus nos deu uma boa casa, com árvores ao redor, uma cozinha arejada e uma sala fresca. Pensamos nisto porque a região é muito quente. De agosto até fevereiro a temperatura fica entre 40 graus centígrados e muita vez chega aos 50 graus centígrados. Também não queríamos um proprietário para nos perturbar, pois já havíamos sido informados que muito gostam de perturbar os inquilinos. E Deus colocou o Sr. David em nosso caminho, um homem calmo e bem tranquilo. Vivia para seu trabalho e não havia perturbação pra nada.

Nossa primeira casa em Bolívia – Puerto Suarez

Paguei o aluguel e ficamos sem dinheiro. Havíamos vendido nossa mobília, mas o povo não tinha para nos dar. Pensei em várias possibilidades; pedir colchão emprestado de um, fogão de outro, panela de outro, mas isso realmente seria bem desconfortante. Voltamos a orar, clamar ao Senhor por solução. Veio o pensamento da possibilidade de alguém nos ajudar, pois vários conhecidos sabiam que nós estávamos indo a Bolívia em missão. Quando olhamos nossos e-mails havia ofertas de vários irmãos do Japão e até da Coreio do Sul. Enviaram U$ 150,00 dólares, outro 250 dólares, uma irmã da Coreia do sul envia mais 150 dólares e etc. Nunca havia recebido tanto dólares. E, mais uma vez, vimos a mãos do Senhor ao nosso favor.

Bem, saímos dali, retiramos o dinheiro e compramos nosso colchão, fogão, botijão de gás, algumas panelas e etc. O necessário nós já tínhamos; Deus havia providenciado.

Eu tenho sentido o que o povo no deserto sentei  –  O cuidado de Deus em providenciar tudo. E nosso alvo é nos manter fiel ao Senhor.

03 de outubro de 2007  –  Santa Cruz de la Sierra

Meu irmão Dayan e sua esposa chegaram no começo de setembro e dia 01 de outubro voltaram ao Paraguai. Eles me trouxeram R$ 600 reais, dinheiro que estava em minha conta bancária, mas eu não podia retirar daqui de Santa Cruz de la Sierra.

Mas, eu tinha um resto do dinheiro do meu carro que havia guardado para nossas documentações. Não era suficiente, mas juntando tudo pensei que alcançasse. Bem, comecei os trâmites e o papel que recebemos da imigração nos fala um valor, sendo que é apenas 50% do que realmente deveríamos gastar, pois tem uma série de documentos mais que não estão inseridos. Eu consegui dar entrada no meu visto que, na época, se não estou enganado, custou uns U$ 1000 dólares. Eu não tinha o dinheiro para o visto da Mina, então fomos a oração.

Você sabe o que é ver os dias passando e ter que pagar essas documentações e não ter de onde tirar? Se vencesse a multa seria de

Pastor Bily Anderson e Deborah com alguns meses – Puerto Suarez

U$1,5 dolares por dia. Eu estava muito preocupado. Mas fomos aos pés do Senhor. Um pastor que veio em nossa casa, o pastor Billy Anderson,  ficou sabendo de nossa situação e nos enviou 150 dólares. Outro pastor disse que nos enviava 200 dólares, uma oferta de sua esposa. Fiquei tão feliz, mas fazendo os cálculos do que tinha e o que havia recebido não era suficiente. Mas, quando fui a internet dizer ao pastor Billy Anderson que já havia retirado os 200 dólares tinha  outro e-mail dele e me dizia que também sentiu de enviar, de sua própria parte, mais 300 dólares para nos ajudar. Glória a Deus!!!

Tudo no tempo certo. Sempre no tempo certo!!!  Louvo ao Senhor por tudo que faz e que não nos desampara.

10 de novembro de 2007  –  Santa Cruz de la Sierra

Chegamos hoje do Paraguai. Fomos para rever nossos familiares e agir algumas documentações necessárias. Mas, estávamos com tão pouco dinheiro, tudo muito apertado. Era necessário fazer a viagem não somente para rever nossos parentes, mas para solucionar um problema de banco.

Quando chegamos fomos ver nossos parentes. Mina foi na casa da mãe dela, eu fiquei vários dias pregando e também fomos ver nossos problemas de documentação e banco. Chegou o dia de voltar e não tínhamos dinheiro, mas meu cunhado disse que tinha uns Pesos Bolivianos e nos deu B$ 50 ( aproximadamente U$ 7 dólares ). Depois um irmão nos deu 50 reais, outro nos trouxe 150 dólares e seguimos recebemos ofertas. Bem, recebemos mais de 1000 reais e voltamos a Bolívia. Sabe o que me alegra? Nós não fizemos campanha para nada, não falamos de necessidade, nada mesmo. Deus moveu o coração do povo para nos ajudar.

19 de Dezembro de 2007  Santa Cruz de la Sierra

Fiquei completamente sem recurso. Não tinha dinheiro para nada e não sabia o que fazer.  Fui na internet e enviei um e-mail para o meu pai pedindo 200 Reais emprestado. Fiquei tão mal com isso, não por pedir o dinheiro do meu pai, mas por me sentir tão impossibilitado de fazer algo. Se Deus me enviou, onde está a providencia? Esta era a voz que gritava dentro de mim.

Momentos como este você fica muito angustiado. O problema é que os 200 reais não dava para nada, pois tinha água atrasada, luz atrasada, nada de mercadoria na cozinha e aluguel por vencer. Um pacote completo e 200 reais não dá pra nada mesmo.

Quando mandei a mensagem meu pai disse que no outro dia enviaria o dinheiro. Já era umas 21:00 ( BO). Realmente, somente uma transferência para eu poder tirar naquele momento, mas passei tranquilidade para meu pai para não ficar preocupado. Eu não gosto de fazer essas coisas, afinal minha idade de 28 anos, casado e numa situação que eu tenho dito a todo mundo que Deus me colocou não tenho cara para jogar minha carga sobre outros, mesmo que seja meu pai. Bem, em casos extremos, saúde, ou algo que realmente vejo que é o extremo acredito que é para isso que existe família. E isso com limite. Mas, sempre pensei assim e tudo isso me angustiava.

Cheguei em casa pra dizer que no outro dia o dinheiro estaria em minha conta, mas Mina me diz que não havia o leite da Deborah. Aquilo me partiu o coração. Eu sai de casa dizendo que ia ver o que fazer. Sai na rua, olhava para um lado e outro e via que não tínhamos ninguém. Comecei a andar, dar voltas nos quarteirões sem saber o que fazer e para onde ir. Olhava as estrelas, o céu bem estrelado e via o poder de Deus. O mesmo Deus que um dia me disse pra estar em Bolívia e agora me via sem U$ 7 dólares para comprar o leite em pó que minha filha toma.

Enquanto eu andava veio o pensamento: “E se alguém enviou uma oferta pelo Western Union e você não sabe?” Que loucura  –  eu pensei. Mas, eu andava pelas ruas perto de minha casa e pensava nisso. Voltei e perguntei a Mina se alguém havia enviado algo no e-mail dele falando de oferta. Ela disse que algum tempo atrás umas amigas dele do Japão, da igreja do pastor Timóteo, um americano missionário no Japão, havia dito que queria mandar. Fomos a internet buscamos os e-mail antigos para ver se havia algum com o número de envio, mas não havia. Eu disse que já era tarde e que logo vão fechar uma farmácia perto de casa que tem um posto da Western Union.

Bem, para você receber algo por esses sistemas de envio internacionais, seja Western Union ou Money Gram você tem que saber quem enviou, quanto enviou e dar o número de giro. Caso contrário ninguém de paga nada. Mas, cheguei lá e disse que havia um giro para mim. Ele perguntou quem enviava  e eu disse que era de uma igreja, mas que não haviam dito o nome. Expliquei que era missionário e como o moço já me havia recebido algumas vezes e se prontificou a buscar usando meu nome. Ele disse: Realmente, tem um giro aqui do Japão em seu nome, mas não posso pagar se você não tem a senha. Meu coração explodia de alegria e ao mesmo tempo fiquei sem saber o que fazer.

O moço me disse para ao menos dar o nome de quem envia. Eu ligo para Mina e perguntei o nome de alguém da igreja do pastor

Esq.: Pastor Peniel, Mina e Deborah. Dir.: Ebenzer e Rebeca

Timótio, alquém que trabalhava na secretaria da igreja. Ela me disse um nome de alguém, um nome japonês. O jovem disse que não era.

Comecei a orar  –  Senhor, tu me envias a benção e agora por causa desse número não vou receber. Toca no coração desse homem. Bem, do nada ele me disse: Olha, o envio está no seu nome. Mas o que me garante que é você mesmo são os dados que você não está me dando. Mas vou fazer isso, só esta vez. Então ele abriu o sistema e me disse: Não seria Fulano ( me deu um nome japonês) Eu respondi:  ESSE MESMO!!!!! (…RS…)

Sai dali com 288 dólares nas mãos. Glóaria a Deus!!!!!!

Na mesma farmácia comprei o leita da Deborah. Quando cheguei com a lata de leite nas mãos Mina ficou assustada. Contei tudo e mais uma vez glorificamos o Senhor pela provisão.

DEIXE SEU COMENTÁRIO  –  clique aqui

Categorias: Diario Missionário, Testemunhos | 10 Comentários

O DESEJO PELA PROSPERIDADE

Sonhei algo que realmente chamou minha atenção. Fui orar e o Senhor me mostrou que não foi um sonho qualquer, mas uma revelação do que está acontecendo. Resolvi postar postar aqui e vou buscar reler quantas vezes possível para não esquecer. Também estarei compartilhando quantas vezes possível, mesmo que alguns não queiram aceitar ou não compreenda.  – “O coração deste povo está endurecido, E com os ouvidos ouviram pesadamente, E fecharam os olhos, Para que nunca com os olhos vejam, Nem com os ouvidos ouçam, Nem do coração entendam, E se convertam, E eu os cure” ( Atos 28:27)

Eu estava andando pela rua e encontrei um determinado obreiro, um pregador do evangelho. Ele estava em um carro convencível com uma mulher muito gorda. Me chamou a atenção o tamanho da mulher, a sua gordura; era uma mulher realmente bem gorda. Ela conduzia o carro e ocupava o seu acento e mais a metade. Era algo realmente fora do comum. Também observei que o homem, o pregador que eu conhecia, estava apaixonado por ela. Eu dizia: Por que anda com esta mulher? Esta não é sua mulher! Eu conhecia a verdadeira mulher do pregador e sabia que não era aquela sua esposa.

Quando cheguei a minha casa minha esposa Mina estava com Deborah. Minha casa era muito pequena com apenas três compartimentos. Então, a verdadeira mulher do pregador, a esposa dele entra em minha casa. Ela vem com seus filhos que ficam brincando com minha filha Deborah do lado de fora da pequena casa. A mulher se sentia desamparada, triste e estava desesperada. Enquanto aquela mulher contava como seu marido a havia desampara, outra mulher entra em minha casa contando a mesma história. Ela também era esposa de obreiro, um pegador, um ensinar da Palavra e a situação era a mesma.

No sonho eu ficava preocupado, pois aquelas mulheres não vinham somente contar seus problemas, mas elas queriam agora morar conosco. Eu e Mina olhávamos nossa pequena habitação e não sabíamos o que fazer. Eu olhava para as crianças lá fora, brincando em frente no pátio, não havia lugar para todo mundo dentro de nossa casa. Nós recebíamos aquelas mulheres com seu filhos, mas realmente ficávamos sem saber o que fazer.

Uma das mulheres olhou para mim, chorando e desesperada, e disse: Pastor Peniel, assim estão os obreiros nesses dias, infiéis!!!

Quando ela me fala isso, eu saio da casa e escuto uma voz ( e sei que era Deus falando): “Peniel, a infidelidade desses obreiros É O DESEJO PELA PROSPERIDADE!”

Pastor Peniel Nogueira Dourado

Santa Cruz dela Sierra  –  Bolívia

DEIXE SUA MENSAGEM. MUITO OBRIGADO  –  Clique aqui

NOTA: Como missionário esta mensagem do Senhor Jesus foi muito forte para mim. Se você sentir, compartilha, acredito que ajudará outros.

Categorias: Diario Missionário, Testemunhos | 2 Comentários

O evangelho é Poder de Deus para salvação!

Eu pensava nas milhares de pessoas que andam de um lado para outro nas feiras. Quem está lá para falar da salvação? Até então, não lembrava de ter encontrado alguém pregando ou mesmo distribuindo um folheto nesses lugares. Falei com minha esposa Mina de fazermos a distribuição do material evangelístico enviado pela Missão Filadélfia de São Paulo. O Dr Gamelim Rodrigues, diretor da Missão Filadélfia há muito tempo abastece nosso trabalho missionário com materiais evangelísticos.

Carimbamos os folhetos com a frase: “QUEREMOS ORAR POR TU VIDA”. Também inserimos meu celular e e-mail. Enquanto Deborah brincava por perto nós fazíamos a distribuição do material e olhávamos aquelas pessoas passando a nossa frente tão preocupadas com o que comprar sem saber do que as espera na eternidade. Cada mão estendida pegando o material era um ato de esperança, pois que distribuíamos era a Palavra de Deus.

Quando chegamos em casa eu recebi uma ligação. Uma mulher pediu oração por seu marido que está no alcoolismo e nas drogas. Ela não disse seu nome, apenas o nome do seu esposo. Eu anotei o nome do homem em nosso caderno de oração e seu telefone. Junto com os demais nomes passamos a apresentar ao Senhor nas reuniões de oração que temos todas as noites em nossa Base de Apoio.

O tempo passou e quando voltei aquela feira um casal veio nos ver. A mulher disse: Pastor, lembra de mim? Eu disse que não. Ela disse: Acredito que não lembra mesmo, pois nos falamos várias vezes, mas por celular. Mas, eu sou aquela mulher que pedia sempre oração por meu marido que estava no alcoolismo e usando drogas. A mulher me apresentou seu marido, o atual irmão Pedro, membro de uma igreja Batista num bairro da periferia de Santa Cruz dela Sierra.O casal estava muito feliz e estavam radiantes por haver nos encontrado.

Eu fiquei muito alegre em ter tamanha notícia. E lembro que naquele dia nem segue pregamos na feira, apenas fizemos a distribuição da Palavra de Deus escrita. Mas tenho aprendido algo, que o poder está na Palavra, e não na forma em que ela chega. Se é rádio, televisão, internet, um megafone, sem megafone ou mesmo um folheto. O importe é fazer chegar a Palavra ao pecador, pois é a PALAVRA que transforma vidas e não nossos métodos. O apóstolo Paulo disse: ” Porque não me envergonho do evangelho, pois é poder de Deus para salvação daquele que cre.  –  Rm 1:16. Que texto tremendo!

Clique duas vezes para ampliar

Amado irmão, você tem o EVANGELHO, a arma poderosa para salvação de toda aquele que crê. O maior resultado que podemos ter é o evangelho no coração do pecador. Então, PREGUE A PALAVRA!!!!

FOTO  –  Aqui temos a feira da Ramada que esta perto da ex-terminal de Santa Cruz de la Sierra. As carpas azuis são barracas que vende de tudo: Roupa, materiais de construção, sapatos, comida e etc. As barracas estão postas no meio da rua. A feira Ramada é a maior de Santa Cruz, estendendo-se do 2º ao 3º anillo ( anel). São dezenas de ruas ocupadas por estas barracas, milhares de pessoas todos os dias vem a esta região. É lugar estratégico para o trabalho evangelístico dando-nos condições de alcançar pessoas de todas as áreas da cidade e do campo.

Pastor Peniel Nogueira Dourado

NOSSO CONTATO:

MSN – pastorpeniel@hotmail.com

Perfil do Orkut – Clique aqui

Perfil do Facebook – Clique aqui

 

 

 

 

 

Categorias: Testemunhos | 1 Comentário

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: